Évora

Governo dá hoje “primeiro passo” para concretizar Hospital Central do Alentejo

A cerimónia, que decorre esta sexta-feira à tarde, em Évora, vai apresentar o projeto de financiamento do novo hospital, no âmbito da reprogramação do Portugal 2020 e terá um caráter simbólico.

O Governo dá esta sexta-feira o "primeiro passo" para concretizar o Hospital Central do Alentejo, em Évora

MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

O Governo dá esta sexta-feira o “primeiro passo” para concretizar o Hospital Central do Alentejo, em Évora, apresentando o projeto de financiamento, e prevê lançar o concurso este ano e as obras em 2020, revelou a ministra da Saúde.

Em declarações à agência Lusa, a ministra da Saúde, Marta Temido, disse que a cerimónia que decorre esta sexta-feira à tarde, em Évora, em que vai ser apresentado o projeto de financiamento do novo hospital, no âmbito da reprogramação do Portugal 2020, “tem um caráter simbólico”.

“Representa a materialização de um compromisso que já tinha sido assumido há largos anos”, o da “construção de um novo Hospital Central no Alentejo”, e constitui “o primeiro passo” para “concretizar o projeto” da unidade, da autoria do gabinete do arquiteto Souto Moura, destacou.

A cerimónia com lugar na cidade alentejana, às 16h00, no Hospital do Espírito Santo de Évora (HESE), vai ser presidida pelo primeiro-ministro, António Costa. Os ministros da Saúde e do Planeamento e das Infraestruturas, Marta Temido e Pedro Marques, respetivamente, também participam na sessão, assim como o presidente da Câmara de Évora, Carlos Pinto de Sá.

Segundo o Ministério da Saúde, na cerimónia vai ser feito o anúncio do concurso do programa comunitário Portugal 2020 para o financiamento do Hospital Central do Alentejo, através de apoios do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER).

“O Governo decidiu, no âmbito de uma reprogramação do Portugal 2020, levar a candidatura a construção do novo hospital”, sendo que o investimento a candidatar “é na casa dos 40 milhões” de euros, referiu a ministra.

Marta Temido reconheceu que o investimento total necessário para a nova unidade hospitalar “ultrapassa este montante”, mas, “neste primeiro momento, por esta via da assunção clara desta prioridade”, no âmbito da reprogramação do Portugal 2020, é possível avançar com o projeto de Souto Moura que aguarda “concretização desde 2012”.

“Há um compromisso político relativamente a este hospital” e o Governo assume “claramente que o início do financiamento se fará por uma reprogramação de fundos comunitários, mas que o projeto seguirá e o novo Hospital Central do Alentejo irá acontecer”, argumentou.

Agora, “se o restante financiamento vem também de fundos comunitários ou se vem de outra fonte é algo que teremos de considerar, durante os tempos que se aproximam”, assinalou a ministra, destacando que “é sempre interessante diversificar as fontes de financiamento”.

Questionada pela Lusa sobre quais os passos seguintes, a ministra explicou que está “praticamente concluído” o “conjunto de trabalhos” que decorre “desde o início de 2018 no âmbito da revisão” do projeto, por parte do HESE e da Administração Regional de Saúde e Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Alentejo.

“Esta equipa irá agora preparar as peças procedimentais para que o lançamento do concurso [para a construção do hospital] possa acontecer durante o 1.º semestre ou início do 2.º semestre” deste ano”, decorrendo depois o concurso: “Esperamos que, em 2020, seja possível iniciar a obra”, frisou.

O novo hospital, de acordo com o Ministério da Saúde, deverá implicar um investimento total de 181 milhões de euros, dos quais 150 milhões para o edificado e 31 milhões para custos com equipamentos. O novo equipamento, numa primeira linha, vai servir os cerca de 200 mil habitantes da região de Évora, mas, numa segunda linha, realçou a ministra da Saúde, “vai também servir toda a região do Alentejo”, ou seja, “cerca de meio milhão de pessoas”.

“Este novo hospital tem um conjunto de vantagens e responde a um conjunto de expectativas da população da região”, estando previsto que tenha “uma diferenciação tecnológica acentuada” e “o alargamento e reforço da atual oferta de serviços”, revelou Marta Temido.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Governo

2019 no mundo e em Portugal

Inês Domingos

Vinte anos depois do calendário, passada a crise, 2019 é o ano em que política, social e economicamente entramos realmente no novo século. Este Governo está aflitivamente impreparado para o enfrentar.

Política

O Povo é sempre o mesmo

Pedro Barros Ferreira

Trump e Bolsonaro não apareceram de gestação expontânea, antes pela sementeira criada pelos partidos e políticos que nada fazem, mas que dizem que tudo deve mudar para que, afinal, tudo fique na mesma

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)