Ambiente

Governo pede criatividade na revitalização do Pinhal Interior

140

O Governo pediu criatividade nas respostas para a revitalização do Pinhal Interior e, nesse sentido, apresentou um concurso público que reserva um milhão de euros para apoiar a iniciativa.

O apelo com esse objetivo foi assumido em Alvaiázere, distrito de Leiria, pelo ministro-adjunto e da Economia, Pedro Siza Vieira, e pela ministra da Presidência e da Modernização Administrativa, Maria Manuel Leitão Marques

PAULO CUNHA/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

O Governo pediu esta sexta-feira criatividade nas respostas inovadoras para a revitalização do Pinhal Interior, ao apresentar um concurso público que reserva um milhão de euros para apoiar iniciativas nesta área.

O apelo com esse objetivo foi assumido em Alvaiázere, distrito de Leiria, pelo ministro-adjunto e da Economia, Pedro Siza Vieira, e pela ministra da Presidência e da Modernização Administrativa, Maria Manuel Leitão Marques, numa sessão em que a Portugal Inovação Social apresentou o concurso Parcerias para o Impacto para a Revitalização do Pinhal Interior.

Temos boas notícias e razões de esperança na frente económica”, disse Pedro Siza Vieira, frisando, no entanto, que Portugal “precisa de ter respostas decisivas” também no plano social, designadamente nos 19 municípios abrangidos pelo concurso.

O ministro salientou que “o país não é todo igual” e que cada território, a começar pelos de baixa densidade demográfica da região Centro, especialmente os mais atingidos pelos incêndios de 2017, poderá inverter o ciclo de envelhecimento e perda de população com o incentivo do Estado à promoção de “respostas específicas”.

Não é uma tarefa que se possa levar a cabo de uma vez só”, sublinhou.

Pedro Siza Vieira disse que estes territórios “são merecedores da mesma qualidade dos serviços públicos”, um fator que promove a igualdade de oportunidades e a coesão social.

No mesmo sentido, Maria Manuel Leitão Marques enfatizou a preocupação do Governo “com as regiões de baixa densidade” populacional e preconizou a aposta na modernização dos serviços públicos. Nestas políticas, importa “medir os resultados” e o impacto social das soluções adotadas, afirmou. O interior, aliás, “foi sempre uma prioridade” do executivo liderado por António Costa, adiantou.

O Governo avança com o concurso Parcerias para o Impacto para a Revitalização do Pinhal Interior, mas “não deixando [a região] sozinha”, disse a ministra. “Inovar não é inventar. É acrescentar, é adaptar ao nosso contexto”, afirma.

Manuel Manuel Leitão Marques desafiou as autarquias e as instituições representadas no auditório da Casa da Cultura de Alvaiázere a empenharem-se na criação de uma incubadora social nesta zona do Pinhal Interior, à semelhança da que já existe na Lousã, a Microninho, que envolve vários municípios e outras entidades.

No encontro, intervieram também a presidente da Câmara Municipal de Alvaiázere, Célia Marques, a gestora da Microninho, Liliana Simões, e o presidente da Estrutura de Missão Portugal Inovação Social, Filipe Almeida.

Os concelhos abrangidos pela iniciativa são Alvaiázere, Ansião, Arganil, Castanheira de Pêra, Figueiró dos Vinhos, Góis, Pedrógão Grande, Lousã, Mação, Miranda do Corvo, Oleiros, Oliveira do Hospital, Pampilhosa da Serra, Penela, Proença-a-Nova, Sertã, Tábua, Vila de Rei e Vila Nova de Poiares, nos distritos de Coimbra, Leiria, Castelo Branco e Santarém.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)