Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Elon Musk anunciou em Novembro de 2017 o seu futuro Roadster, que promete mais de 400 km/h e menos de 2 segundos de 0-100 km/h (na realidade 0-97 km/h em 1,9 segundos). O objectivo é fabricá-lo em série a partir de 2020, mas a revelação do veículo final deverá acontecer ainda em 2019, para motivar mais os milhares de clientes que fizeram reservas, o que os obrigou a avançar 50.000 dólares para ter a garantia de receber uma das primeiras unidades.

O Roadster da Tesla vai democratizar as emoções, propondo por um valor mais acessível o que até aqui só estava disponível a quem pagasse milhões

O novo Roadster da Tesla é o mais democrata dos veículos da marca, pois por apenas 200.000 dólares, ou 250.000 dólares caso se opte pela série especial Founders Series, é possível ter um superdesportivo com uma capacidade de aceleração e uma velocidade máxima que até aqui apenas estava disponível para veículos com um preço acima dos 2 ou 3 milhões de dólares. É, por assim dizer, uma ‘pechincha’.

Agora, o CEO da Tesla veio a público reacender ainda mais a fogueira das expectativas, ao afirmar que o seu futuro Roadster “poderia fazer qualquer coisa como isto”, a que aliou uma animação do veículo utilizado no filme Back To The Future, com uma espécie de propulsores a jacto.

Musk pôs a SpaceX a conceber uma espécie de “booster” (de que tipo não se sabe) para ajudar no desempenho do novo Roadster

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Ao que parece, os Rocket Boosters mencionados como possíveis em 2018, vão mesmo avançar, desenvolvidos pela SpaceX, sendo credível que a empresa que revolucionou a exploração espacial tenha igualmente resolvido o problema inerente a adaptação de uns jactos, eventualmente a ar comprimido, destinados a tornar o veículo mais rápido, bem como a optimizar o seu comportamento.