Rádio Observador

Rep Democrática do Congo

Opositor Fayulu vai contestar resultados das eleições presidenciais na RD Congo em tribunal

O candidato da coligação Lamuka, Martin Fayulu, vai apresentar recurso junto do Tribunal Constitucional no sábado, afirmando que obteve 61% dos votos, contra 18% de Tshisekedi.

STEFAN KLEINOWITZ/EPA

Autor
  • Agência Lusa

O candidato classificado em segundo lugar nas eleições presidenciais da República Democrática do Congo (RD Congo), Martin Fayulu (oposição), anunciou esta sexta-feira que vai contestar em tribunal os resultados, que deram a vitória a Félix Tshisekedi.

O candidato da coligação Lamuka vai apresentar o recurso junto do Tribunal Constitucional no sábado, anunciou Fayulu, num encontro com centenas de militantes deste movimento em Kinshasa, segundo o site de notícias Actualité.cd. O opositor afirma ainda que obteve 61% dos votos, contra 18% de Tshisekedi, citando os dados dos observadores da Igreja Católica.

Na capital, centenas de apoiantes de Fayulu juntaram-se para denunciar o que dizem ser “uma vitória roubada ao povo”, sob forte presença policial, enquanto esperavam pela intervenção do candidato derrotado.

O empresário, que tem sido uma das vozes mais críticas da corrupção, acusa o Presidente, Joseph Kabila, de ter negociado em segredo um acordo com o vencedor declarado, Félix Tshisekedi, outro candidato da oposição. A influente Igreja Católica, uma entidade que merece a confiança de muitos congoleses, disse que os 40.000 observadores que deslocou para acompanharem o ato eleitoral encontraram um vencedor diferente e vários diplomatas apontam também para a vitória de Fayulu.

Os congoleses confrontam-se assim com a caricata situação de uma alegada eleição fraudulenta, manipulada a favor da oposição, depois de o candidato do partido de Kabila, Emmanuel Ramazani Shadary, ter tido um mau desempenho nas sondagens.

Cinco civis morreram durante as manifestações de contestação dos resultados provisórios das eleições presidenciais na República Democrática do Congo (RDCongo), segundo um novo balanço divulgado hoje pelas autoridades, que desmentiram a morte de dois polícias. Entre os cinco civis mortos, está a mulher de um inspetor da polícia.

Os resultados provisórios das eleições presidenciais na RDCongo, divulgados dez dias depois da votação, deram a vitória ao candidato da oposição Félix Tshisekedi, que conquistou 38,57% dos votos. O outro candidato da oposição, Martin Fayulu, ficou em segundo lugar com 34,8% e contestou de imediato os resultados, denunciando o que considera ser um “golpe eleitoral”.

O candidato apoiado pelo partido do Governo, Emmanuel Ramzani Shadary, considerado o delfim do Presidente Kabila – que estava impedido de se candidatar — ficou em terceiro lugar. O ainda Presidente Joseph Kabila governa desde 2001 um país rico em recursos naturais, mas marcado por crises políticas e por um conflito armado que causou milhões de deslocados.

Também esta sexta-feira é aguardada a divulgação dos resultados provisórios das eleições legislativas, que decorreram no mesmo dia e contaram com a participação de 15.355 candidatos aos 500 lugares na Assembleia Nacional.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)