Chama-se Hudson Horne, é australiano e, com apenas 13 anos, deu uma outra vida à sua paixão de reparar aparelhos telecomandados ou programados. Foi este  rapaz que juntou 7 mil dólares (cerca de 6 mil euros) no último ano enquanto se entretinha a fotografar com drones.

Hudson recebeu o primeiro drone com nove anos. Hoje, faz fotografia aérea e acaba de tornar um simples hobby num negócio lucrativo, que até já uma designação própria tem. O seu nome é determinado e promissor: “Next Level Lens”. Agora não só repara os aparelhos como também lhes dá o devido uso com a fotografia aérea.

O jovem diz, citado pela BBC, que tem usado as novas tecnologias nos últimos dois anos para fazer dinheiro extra. Entre o que já fotografou, estão alguns eventos, como casamentos, e casas. Às vezes, trabalha para construtores ou pessoas que se encontram a desenvolver projetos arquitetónicos: e tudo visto de cima. Depois, vende as imagens em postais ou imprime-as apenas e vende-as assim, como aconteceu quando foi fotografar um evento de pesca e acabou por vender as suas fotografias aos pescadores.

O negócio, contudo, não é gerido às escuras. Além de ter a ajuda dos pais, Hudson teve uma formação empresarial durante seis meses e aí aprendeu muitas das regras que terá de aplicar no seu negócio daqui em diante.

Se tiver de deixar o negócio, posso sempre continuar a construir drones”, afirma Hudson

Independentemente do que acontecer, Hudson não tenciona deixar a sua paixão pela robótica e vê-se a trabalhar nela no futuro; não só se vê a fotografar como também quer construir os dispositivos que o permitam fazer.