Cabo Verde

Cabo Verde celebra Dia da Liberdade e da Democracia com sessão solene e outras atividades

Cabo Verde celebra no domingo, pela terceira vez consecutiva, o 13 de janeiro, Dia da Liberdade e Democracia, com uma sessão solene especial no parlamento.

Ana Freitas/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

Cabo Verde celebra no domingo, pela terceira vez consecutiva, o 13 de janeiro, Dia da Liberdade e Democracia, com uma sessão solene especial no parlamento e com outras atividades um pouco por todo o país.

O 13 de janeiro é a data em que, pela primeira vez, em 1991, os cabo-verdianos exerceram o seu direito de voto nas primeiras eleições multipartidárias, após 16 anos em regime de partido único.

As primeiras eleições multipartidárias no arquipélago foram ganhas pelo Movimento para a Democracia (MpD), partido que regressou em 2016 ao poder após 15 anos na oposição e ao qual a data está mais associada.

O dia já era feriado nacional, mas desde 2017 que o parlamento cabo-verdiano celebra a data com uma sessão solene especial, para reconhecer e dignificar uma das datas mais significativas para o país, a par do Dia da Independência, celebrado a 05 de julho.

A sessão, que é aberta ao público, está marcada para as 10:30 locais (11:30 em Lisboa) e contará com a presença das mais altas entidades do Estado, sendo presidida pelo Presidente da República, Jorge Carlos Fonseca.

Vão ainda usar da palavra o presidente da Assembleia Nacional, Jorge Santos, e os representantes dos partidos com assento parlamentar.

O dia é assinalado um pouco por todo o país com muitas atividades políticas, culturais e desportivas, com destaque para a Corrida de Liberdade, organizada pela Câmara Municipal da Praia e que este ano terá como padrinho Neno, antigo futebolista português de origem cabo-verdiana.

A organização prevê a participação de mais de cinco mil pessoas na corrida, instituída em 2009 e que já trouxe à capital cabo-verdiana figuras do mundo desportivo a nível mundial, como o já falecido Eusébio, o presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira, o ex-futebolista Pedro Mantorras, o judoca Nuno Delgado ou as atletas Fernanda Ribeiro e Rosa Mota.

O dia 13 de janeiro marca também o início da Semana da República, iniciativa da Presidência da República, que vai até o domingo seguinte, Dia dos Heróis Nacionais, feriado nacional em Cabo Verde e na Guiné-Bissau que assinala o dia do assassinato de Amílcar Cabral, o patrono das independências destes dois países, a 20 de janeiro de 1973.

Uma das atividades da Semana da República será a realização de um encontro nacional de jovens, no Palácio da Presidência, em que o tema em debate será “Construção da paz e da democracia”.

Em Santa Catarina de Santiago, o dia vai ser assinalado com atividades desportivas na zona pedonal de Assomada, com o lema “Mexa-se pela liberdade”.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Crónica

Mais 5 dias inúteis /premium

Alberto Gonçalves

Claro que o ar do tempo começa a tornar-se irrespirável e que uma sociedade fundamentada na desconfiança e na delação não promete um futuro risonho. Claro que me apetecia fazer queixa. Mas a quem?

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)