Quando o FC Porto somou na Luz a segunda derrota no Campeonato, no início de outubro, poucos poderiam antever aquilo que se viria a passar nos três meses seguintes. Aliás, provavelmente ninguém. Mas o certo é que aconteceu: começando depois da paragem para compromissos das seleções com dois pontos a menos do que Benfica e Sp. Braga, os dragões precisaram apenas de uma jornada para saltarem para a liderança (os encarnados perderam no Jamor com o Belenenses, os minhotos empataram no dérbi com o Vitória), isolaram-se com um triunfo frente aos arsenalistas no Dragão e foram reforçando esse estatuto.

Esse encontro resolvido nos minutos finais por Soares acabou por dar o mote para o que se seguiria nas rondas seguintes: os azuis e brancos prolongavam a sua série de triunfos consecutivos na prova e iam vendo, de forma alternada, os seus rivais mais diretos somarem alguns dissabores. À 13.ª jornada, os comandados de Sérgio Conceição tinham dois pontos de avanço sobre o Sporting, três do Sp. Braga e quatro do Benfica; antes da última ronda da primeira volta, tinham seis a mais do Sp. Braga, sete do Benfica e oito do Sporting. A diferença para minhotos e leões manteve-se, os encarnados conseguiram encurtar para cinco após o nulo no clássico. Mas isso pode não ser propriamente um problema para os dragões.

Segundo os dados do Playmakerstats, todas as equipas que terminaram a primeira volta do Campeonato com cinco ou mais pontos de vantagem acabaram por ser campeãs, algo que aconteceu em 15 ocasiões. E com mais um ponto curioso: apenas um conjunto, neste caso os azuis e brancos de Vítor Pereira em 2011/12, conseguiu ser ainda campeão depois de ter na segunda volta um atraso de cinco pontos (para o Benfica de Jorge Jesus). Além disso, também o calendário parece ser na teoria um pouco mais favorável aos dragões, em contraponto com o atual segundo classificado que irá jogar no Dragão, em Braga e em Alvalade.

Olhando para as últimas 17 jornadas, o FC Porto terá um arranque complicado com três encontros fora entre o Minho e Trás-os-Montes (que coincidirá com o dérbi lisboeta, na 20.ª ronda), recebe uns jogos depois o Benfica, tem duas saídas difíceis a Braga e Vila do Conde e encerra o Campeonato em casa com o Sporting; já o Benfica até tem mais jogos na Luz do que como visitante mas desloca-se ao terreno de todos os conjuntos que se encontram agora nos primeiros seis lugares. O calendário dos quatro candidatos ao título na segunda volta (que terá ainda Taça de Portugal, Taça da Liga e Europa pelo meio) é o seguinte:

FC PORTO (43 pontos)

  • Desp. Chaves (fora)
  • Belenenses (casa)
  • V. Guimarães (fora)
  • Moreirense (fora)
  • V. Setúbal (casa)
  • Tondela (fora)
  • Benfica (casa)
  • Feirense (fora)
  • Marítimo (casa)
  • Sp. Braga (fora)
  • Boavista (casa)
  • Portimonense (fora)
  • Santa Clara (casa)
  • Rio Ave (fora)
  • Desp. Aves (casa)
  • Nacional (fora)
  • Sporting (casa)

BENFICA (38 pontos)

  • V. Guimarães (fora)
  • Boavista (casa)
  • Sporting (fora)
  • Nacional (casa)
  • Desp. Aves (fora)
  • Desp. Chaves (casa)
  • FC Porto (fora)
  • Belenenses (casa)
  • Moreirense (fora)
  • Tondela (casa)
  • Feirense (fora)
  • V. Setúbal (casa)
  • Marítimo (casa)
  • Sp. Braga (fora)
  • Portimonense (casa)
  • Rio Ave (fora)
  • Santa Clara (casa)

SP. BRAGA (37 pontos)

  • Nacional (fora)
  • Santa Clara (casa)
  • Desp. Aves (fora)
  • Desp. Chaves (casa)
  • Sporting (fora)
  • Belenenses (casa)
  • Rio Ave (fora)
  • V. Guimarães (casa)
  • V. Setúbal (fora)
  • FC Porto (casa)
  • Moreirense (fora)
  • Tondela (casa)
  • Feirense (fora)
  • Benfica (casa)
  • Marítimo (fora)
  • Boavista (fora)
  • Portimonense (casa)

SPORTING (35 pontos)

  • Moreirense (casa)
  • V. Setúbal (fora)
  • Benfica (casa)
  • Feirense (fora)
  • Sp. Braga (casa)
  • Marítimo (fora)
  • Portimonense (casa)
  • Boavista (fora)
  • Santa Clara (casa)
  • Desp. Chaves (fora)
  • Rio Ave (casa)
  • Desp. Aves (fora)
  • Nacional (fora)
  • V. Guimarães (casa)
  • Belenenses (fora)
  • Tondela (casa)
  • FC Porto (fora)