Era uma escapadinha a dois. Uma lua de mel tardia, já que quando casaram não puderam viajar sozinhos. Luis Miguel tratou de tudo, à socapa, para a mulher Laura não perceber os planos românticos que tinha em mente. Era a primeira vez que a mãe de três filhos, de 38 anos, ia sair de Espanha. Todos os detalhes foram planeados em segredo e mesmo quando chegaram ao aeroporto de Barajas, na sexta-feira passada, Laura Sanz Nombela, não fazia ideia de para onde ia.

O destino era Paris, a dormida seria num hotel no 9.º bairro, nas proximidades da Ópera de Paris. Dormiriam num hotel, o Mercure Paris Opéra Lafayette, mesmo em frente a uma pequena padaria parisiense, a Hubert, onde poderiam tomar o pequeno-almoço. Mas não foi o que aconteceu. Foi na Hubert que se deu a explosão de sábado, na sequência de uma fuga de gás, que vitimou 4 pessoas. Laura não sobreviveu. A primeira vez que deixou a sua terra natal, acabou por ser também a última.

“O meu genro perguntou-me se eu e a minha mulher podíamos ficar com as crianças. Queria surpreender a minha filha, era uma viagem de namorados, a primeira ida a Paris.” O relato é feito pelo pai de Laura, José Luis Sanz Gutiérrez, ao jornal espanhol El Pais, já a partir da cidade parisiense.

Assim que soube do acidente da filha, o responsável por um matadouro em Pulgar, uma povoação de Montes de Toledo, não hesitou. Com a ajuda de um grupo de motards a que pertence, Los Krackens, chegou rapidamente ao país vizinho.

“Eles vieram buscá-lo a casa, já com um bilhete, e enviaram-no para lá”, conta fonte da família de Laura ao diário espanhol El Mundo.

Primeiro o cheiro a gás, depois uma explosão violenta

“Eles nunca tinham feito uma viagem sozinhos”, conta a mesma fonte familiar ao jornal espanhol. Depois de casarem, a suposta lua de mel foi feita entre amigos e familiares. Pouco depois, vieram os filhos, que hoje têm 3, 5 e 10 anos. A partir daí, para onde quer que Laura e Luis Miguel Fontán Brea fossem, as crianças iam também.

A exceção à regra chegara finalmente. Sexta-feira aterraram na cidade da luz para um sonho tornado realidade. Sábado de manhã, o conto de fadas sofreu uma reviravolta. Segundo conta o El Mundo, na manhã de sábado o casal pressentiu que algo estava errado. Eram 9 horas da manhã e sentia-se um cheiro intenso a gás no ar. De repente, a explosão.

Ele contou-nos que cheirava muito gás, o que era muito impressionante. Quando ouviram a explosão, pensaram que se tratava de um ataque terrorista”, relata o mesmo familiar.

A partir daí, tudo foi muito rápido. Com a explosão, o corpo de Laura foi violentamente atirado em direção à cama, e os escombros começaram a cair por todo o lado. Um vídeo amador, mostra imagens de Luis Miguel, em roupa interior, a gritar por socorro, tentando retirar o corpo da mulher do meio dos destroços.

Em casa dos pais de Laura, em Burguillos, uma povoação com cerca de três mil habitantes, onde se encontravam os três filhos do casal, a família ia assistindo a todos os relatos pela televisão. “Tivemos de tirar a Dolores [mãe de Laura] da frente da televisão”, conta um membro da família da vítima, que se queixa da presença constante de jornalistas nas imediações da casa da família.

Laura, a a caixa de supermercado de quem todos gostavam

Há 17 anos que Laura tinha o mesmo emprego. Era caixa de supermercado no La Despensa, um espaço comercial na capital de Toledo, no bairro de Santa Barbara. À agência noticiosa Efe, um vizinho que manteve o anonimato, descreveu Laura como uma pessoa que era amada pelos clientes por ser sempre “muito simpática e atenciosa”. A notícia deixou-o chocado. “Era uma mulher amada pelo seu caráter afável e porque estava sempre disposta a ajudar.”

O olhar da família, vira-se agora para Luis Miguel, viúvo, com três filhos pequenos. “Ele deve estar destroçado, a pensar que foi ele que organizou tudo e a levou para lá. Como estará a cabeça deste pobre homem, depois dos ferimentos e de tudo o que sofreu”, diz a mesma fonte familiar ao El Mundo.

Em Toledo, as bandeiras estão a meia haste e segunda-feira é dia de luto municipal. O corpo de Laura ainda demorará a voltar para casa, pelo menos 4 dias. Para um desfecho trágico, muito diferente do que planeou Luis Miguel