Rádio Observador

Papa Francisco

Papa Francisco deixa conselhos a pais: “Nunca discutam à frente das crianças”

2.049

O Papa destacou a necessidade de transmitir a fé aos mais novos com a própria "vida de fé", de pais e padrinhos, com o "amor dos cônjuges e a paz da casa".

O conselho aos pais surgiu na Capela Sistina, durante o batismo de 27 crianças, a maioria filhos de funcionários do Vaticano

Sala de Imprensa da Santa Sé

O Papa Francisco disse este domingo que é perfeitamente normal os casais discutirem, mas aconselhou-os a não o fazerem em frente aos filhos para não lhes causar angústia.

O conselho aos pais surgiu na Capela Sistina, durante o batismo de 27 crianças, a maioria filhos de funcionários do Vaticano.

Na homilia, o Papa destacou a necessidade de transmitir a fé aos mais novos com a própria “vida de fé”, de pais e padrinhos, com o “amor dos cônjuges e a paz da casa”.

“Nunca discutam à frente das crianças”, apelou Francisco, considerando que é normal que existam momentos de discussão e que até seria estranho que não existissem.

Contudo, Francisco aconselha os pais a terem esses momentos de discussão longe das crianças, de forma a que não ouçam ou vejam, para não lhes causar angústia.

Sobre a transmissão de fé, o Papa considera que esta começa em casa, na família, com palavras, com o exemplo e com gestos simples.

“Alguém me poderia dizer: sim, sim, devem estudar. Claro, quando forem à catequese, vão estudar bem a fé, aprenderão o catecismo, mas antes do estudo, a fé tem de ser transmitida e esta é uma missão que recebem”, referiu o Papa aos pais e padrinhos presentes no Vaticano.

Segundo a agência Ecclesia, esta foi a sexta vez no atual pontificado que Francisco presidiu à Missa na Capela Sistina na festa do ‘Batismo do Senhor’, com a qual se encerra o tempo litúrgico do Natal no calendário católico.

À imagem do que aconteceu nas anteriores ocasiões, o Papa teve uma palavra especial para as mães, para que se sentissem confortáveis caso tivessem necessidade de amamentar os filhos, “num ambiente estranho” para eles.

“Estejam à vontade, não os tapem demasiado, e se choram porque têm fome, amamentem-nos, sem problema”, referiu.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Eleições Legislativas

Afluir de Rio em Costa instável

Gonçalo Sobral Martins

O líder do PSD fez ver que Portugal não soube aproveitar uma conjuntura externa extraordinária: apesar dos juros do BCE e do crescimento económico da zona-euro, nada melhorou substancialmente.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)