A confirmação veio do próprio chairman da Audi, o holandês Bram Schot que, segundo a também holandesa Auto Week, terá admitido que o superdesportivo eléctrico PB18 e-tron, apresentado em Pebble Beach no passado Verão, nos EUA, vai ser promovido de concept car para veículo de produção em série. Mas uma série muito pequena,  com apenas 50 unidades, o que é algo nunca visto na marca dos quatro anéis, uma vez que mesmo o R8 e-tron, a versão eléctrica do desportivo que conhecemos a gasolina, viu serem fabricados mais de 100 exemplares.

6 fotos

Curiosidades à parte, o importante é que o PB18 e-tron venha mesmo a ver a luz do dia, apesar de a Audi ter de elevar a parada, pois o superdesportivo, enquanto protótipo,  anunciava uma bateria de apenas 95 kWh e três motores com um total de 680 cv e 830 Nm de torque. Uma proposta tentadora, comparando com o que existe agora no mercado, mas não muito entusiasmante face a veículos que deverão surgir em breve, do Tesla Roadster ao Rimac C_Two.

Além de um superdesportivo com o aspecto agressivo e dinâmico do PB18 e-tron ser sempre bem vindo, é provável que a decisão de produzi-lo seja também uma questão estratégica do Grupo Volkswagen, pois também a Porsche e a Lamborghini vão necessitar de um modelo deste calibre e estão longe de poder arcar sozinhas com os custos de desenvolvimento. Habitualmente, são as marcas generalistas do grupo alemão a suportar grande parte dos custos de desenvolvimento, para depois as que produzem em menor quantidade poderem deliciar os fãs com lucros extraordinários. Sim, porque é mais fácil ganhar dinheiro com o Cayenne ou com o Urus quando a Audi já “pagou a conta” da plataforma e dos motores quando concebeu o Q7.