Quais os desafios que a ultraperiferia enfrenta? Até que ponto são as zonas ultraperiféricas de Portugal completamente autónomas? Que oportunidades podem advir da ultraperiferia? Para dar resposta a estas e outras questões relacionadas com a ultraperiferia, o XXIV Encontro Fora da Caixa, da Caixa Geral de Depósitos (CGD), será subordinado ao tema Ultraperiferia vs. Autonomia.

A escolha da temática para este Encontro deve-se não só devido à sua atualidade, mas também pela localização dos Açores em relação ao centro da Europa. Por ser ultraperiférica, “levanta singularidades que têm de ser conhecidas e debatidas”, refere fonte oficial da CGD. Assim, o “grau de autonomia dessa gestão é uma questão que deve ser ponderada e discutida, procurando sempre uma otimização que resulte no bem-estar das populações”, adianta.

O objetivo do debate Ultraperiferia vs. Autonomia é “encontrar pérolas de desenvolvimento próprios dos Açores que têm características únicas”, explica a mesma fonte. Até pelo facto de os Açores terem “fatores especiais de inovação e desenvolvimento que potenciam um futuro com qualidade de vida para quem lá habita”.

O debate insere-se na iniciativa Encontros Fora da Caixa, que surgiu em Março de 2017 para colmatar a “necessidade de a Caixa desenvolver uma política de proximidade, ao mais alto nível, nas capitais de distrito para ouvir empresários, clientes e colaboradores, e para refletir sobre a realidade empresarial de cada uma das regiões do país”, esclarece fonte oficial da CGD. É por isso que este XXIV Encontro acontecerá na ilha de S. Miguel, nos Açores, sendo esta uma forma de dar a conhecer a realidade deste arquipélago a quem vive e trabalha em Portugal continental. “Esta região merece o tempo que lhe dedicamos, até porque está com níveis de crescimento potencial muito interessantes”, acrescenta.

Além da visita dos administradores da Comissão Executiva da CGD às agências da região, os Encontros Fora da Caixa têm como missão envolver a “sociedade local, em todas as suas vertentes”, procurando “conhecer a realidade empresarial para cada região. São conferências que têm utilidade, porque não são um fórum onde se evidenciam problemas, mas onde se procuram soluções através da evidência de uma visão estratégica própria para cada região”, conclui a fonte oficial.

Este XXIV Encontro Fora da Caixa será moderado por José Manuel Fernandes, publisher do Observador, tendo como temas de conversa a Ultraperiferia vs. autonomia, a Economia do mar e a Insularidade: desafios e oportunidades. Com abertura de José João Guilherme, administrador executivo da CGD, o painel desta conferência será composto por Vasco Alves Cordeiro, presidente do Governo Regional dos Açores; João Bosco Mota Amaral e Jaime Gama, dois açorianos que são bem conhecidos no panorama político nacional; António Nogueira Leite, presidente do Fórum Oceano; José Félix Ribeiro, economista; Cíntia Machado, presidente do Conselho de Administração da Lotaçor, S.A.; Duarte Botelho da Ponte, presidente do Conselho de Administração da EDA – Empresa de Eletricidade Açores, S.A.; José Mancebo Soares, gerente da Unicol, CRL; e Romão Braz, vice-presidente do Grupo Finançor, S.A.. O encerramento do debate ficará a cargo de Paulo Moita de Macedo, presidente da Comissão Executiva da Caixa Geral de Depósitos.

O Encontro Fora da Caixa: Ultraperiferia vs. Autonomia decorre amanhã, dia 15 de janeiro, no Teatro Micaelense, em Ponta Delgada, nos Açores.