Angola

Angola desmina pólo turístico no Cuando Cubango com doação britânica de 1,3 milhões de dólares

A província angolana do Cuando Cubango recebeu verba de 1,3 milhões de dólares para desminar a zona de implementação do pólo turístico KAZA. O projeto abrange cinco países africanos.

A verba será aplicada em projetos de desminagem nos municípios de Menongue, Cuchi e Cuito Cuanavale nos próximos três anos

ABIR SULTAN/EPA

Autor
  • Agência Lusa

A província angolana do Cuando Cubango vai desminar a zona de implementação do projeto turístico KAZA, Okavango/Zambeze, com a verba de 1,3 milhões de dólares que recebeu de uma doação do Governo britânico, foi esta terça-feira anunciado.

A informação foi avançada pelo gestor da operadora de desminagem britânica The Halo Trust, no Cuando Cubango, José António, sobre 1,3 milhões de dólares que a província beneficiou de um total de três milhões de libras (3,3 milhões de euros), disponibilizados, em setembro passado, pelo Governo britânico a Angola, para projetos de desminagem.

Segundo José António, o montante será aplicado em projetos de desminagem nos municípios de Menongue, Cuchi e Cuito Cuanavale nos próximos três anos. “Fala-se muito do desenvolvimento do turismo em Angola, em particular no Cuando Cubango, o projeto KAZA, estaremos disponíveis também a ajudar o Governo neste projeto”, disse o gestor, em declarações à rádio pública angolana.

O projeto KAZA Okavango/Zambeze, lançado em 2013, abrange cinco países africanos — Angola, Botsuana, Zimbabué, Namíbia e Zâmbia — cabendo ao país lusófono, dos 278 mil quilómetros quadrados, 87 mil quilómetros quadrados, grande parte dele por desminar.

De acordo com José António, durante 2017 a organização britânica destruiu 374 minas antipessoais, uma mina antitanque, 263 engenhos não detonados, além das ações de sensibilização sobre o risco de minas.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)