Cristiano Ronaldo

Cardiff tem simbolismo, Paris será sempre eterna, Jeddah tornou-se especial: o filme dos 27 títulos de Ronaldo

436

Venceu o primeiro em Setúbal, ganhou cinco Champions noutros tantos países, conquistou o maior número em Cardiff, festejou o Euro em Paris, estreou-se pela Juve em Jeddah: os 27 títulos de CR7.

Olhando com a devida distância temporal, a temporada de 2004/05 acaba por ser uma espécie de oásis numa carreira marcada por sucessos atrás de sucessos ao longo de mais de década e meia. É certo que em 2009/10 Cristiano Ronaldo também não teve nenhum troféu para celebrar mas esse primeiro ano de Real Madrid, onde marcou 33 golos em 35 jogos, acabou por transformar-se numa espécie de adaptação ao papel de jogador mais caro do mundo numa nova realidade onde chocou com a melhor versão do Barcelona de Pep Guardiola. Na supracitada época, o português perdeu a final da Taça de Inglaterra nos penáltis frente ao Arsenal, caiu nas meias-finais da Taça da Liga com o Chelsea, terminou a Premier League no terceiro lugar e teve uma saída precoce da Champions logo nos oitavos. Carrasco? AC Milan. O mesmo clube que se tornaria especial na sua carreira.

Nessa eliminatória, os rossoneri liderados por Carlo Ancelotti (que viria a ser seu treinador uns anos depois em Madrid) foram apurados com dois triunfos pela margem mínima, ambos com golos de Hernán Crespo. Estávamos então em 2005; daí para cá, Ronaldo tornou-se um verdadeiro quebra-cabeças ainda sem resolução para o conjunto italiano, que podia mudar de clube e país mas conseguiu ir deixando marca nos confrontos com o AC Milan: em 2006/07, nas meias-finais da Champions, o português marcou um dos golos no triunfo por 3-2 da primeira mão (em San Siro, os transalpinos ganharam por 3-0); em 2010/11 fez um dos golos do Real Madrid na vitória por 2-0 na fase de grupos no Santiago Bernabéu; esta temporada, apontou um dos golos do triunfo da Juventus em San Siro por 2-0 no Campeonato. Seguiu-se a conquista da Supertaça.

Jeddah será sempre um ponto especial na carreira do capitão da Seleção por ter sido aí que conseguiu o primeiro troféu pela Juventus, o quarto clube que tem como sénior depois de Sporting, Manchester United e Real Madrid. No entanto, existem outras cidades que ficarão para sempre gravadas na história dos 27 títulos coletivos de Cristiano Ronaldo até ao momento: Setúbal, por ter sido o primeiro; Cardiff, por ser aquela onde mais vezes festejou; Paris, que se tornou eterna depois do golo apontado por Éder na final do Campeonato da Europa de seleções; Moscovo, por ter conseguido a primeira Champions da carreira; Lisboa, por ter ganho a primeira Liga dos Campeões pelo Real Madrid no seu país. Entre Portugal, Espanha, França, Itália, Inglaterra, País de Gales, Rússia, Ucrânia, Macedónia, Emirados Árabes Unidos, Marrocos e Japão, junta-se agora mais um país no historial do número 7: a Arábia Saudita. E estas são as imagens dessas 27 festas do português.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: broseiro@observador.pt
Venezuela

Um objeto imóvel encontra uma força imparável

António Pinto de Mesquita

Num dos restaurantes mais trendy de Madrid ouve-se o ranger de um Ferrari que para à porta. Dele sai um rapaz novo, vestido com a última moda. Pergunta-se quem é. “É filho de um general venezuelano”.

Enfermeiros

Elogio da Enfermagem

Luís Coelho
323

Muitos pensam que um enfermeiro não passa de um "pseudo-médico" frustrado. Tomara que as "frustrações" fossem assim, deste modo de dar o corpo ao manifesto para que o corpo do "outro" possa prevalecer

Poupança

O capital liberta

André Abrantes Amaral

É do ataque constante ao capital que advêm as empresas descapitalizadas, as famílias endividadas e um Estado sujeito a três resgates internacionais.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)