Hospitais

Centro Hospitalar Lisboa Norte teve 800 cirurgias adiadas durante greve cirúrgica

Mais de 800 cirurgias foram adiadas, tendo havido uma perda 1,8 milhões de euros, durante a greve dos enfermeiros em blocos operatórios. Ainda assim, a greve ter menor impacto do que o esperado.

O Centro Hospitalar Universitário Lisboa Norte (CHLN) integra o hospital Santa Maria e o hospital Pulido Valente

ANTÓNIO COTRIM/LUSA

A administração do Centro Hospitalar Lisboa Norte anunciou esta quarta-feira que a greve dos enfermeiros em blocos operatórios teve menor impacto do que antecipado, contabilizando ainda assim mais de 800 cirurgias adiadas e 1,8 milhões de euros de perdas.

Carlos Martins, administrador do Centro Hospitalar Universitário Lisboa Norte (CHLN), que integra o hospital Santa Maria e o hospital Pulido Valente, foi quarta-feira ouvido na comissão parlamentar de Saúde sobre os efeitos da greve dos enfermeiros que decorreu entre 22 de novembro e 31 de dezembro passado em blocos cirúrgicos. O administrador chegou a estimar que fossem canceladas cerca de 1.500 cirurgias nesse período, mas indicou aos deputados que afinal ficaram por realizar 816.

Das 1.450 cirurgias agendadas para o período de greve, foram realizadas 634, o que aponta para uma “perda de produção” de 56%. Só 13 das 30 salas de cirurgia programada estiveram ativas no período de greve.

As 816 cirurgias adiadas durante a greve cirúrgica correspondem a mais de metade das 1.460 cirurgias que foram adidas com os 62 dias de greves totais ou parciais que houve naquele centro hospitalar durante todo o ano de 2018, o que corresponde a duas semanas de atividade em situação normal. Das operações adiadas, 46% dos doentes já têm nova data para realizar a cirurgia e outros 30% terão datas marcadas até fim do mês.

Num comentário aos dados que apresentou aos deputados, Carlos Martins reconheceu que a greve dos enfermeiros teve impacto, embora mais reduzido do que as previsões iniciais, rejeitando casos de situações emergentes naquele centro hospitalar que não tenham sido atendidas.

“Portanto, a greve teve impacto, ponto final, parágrafo; impacto no acesso e equidade do cidadão. Mas não teve impacto no acesso em situação emergente”, declarou o administrador do Centro Hospitalar Universitário Lisboa Norte.

A área pediátrica foi a que maior impacto sentiu, segundo Carlos Martins, adiantando que ainda assim foram operadas 102 crianças no período de greve. Em termos financeiros, a greve terá tido um impacto de pelo menos de 1,8 milhões de euros só em perda de proveitos.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
PAN

A culpa como arma final /premium

André Abrantes Amaral

Antes o pecador ia para o Inferno; agora destrói a Terra. A Igreja falava em nome de Deus; o PAN fala em nome do planeta. Onde foi buscar tal ideia é o que a democracia tem tido dificuldade em perguntar

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)