A primeira-ministra britânica, Theresa May, não participará no fórum económico mundial de Davos, que decorre entre 21 e 25 de fevereiro na Suíça, para se dedicar ao Brexit, anunciou esta quinta-feira uma porta-voz do Governo. “Ela não irá a Davos, vai concentrar-se em questões daqui”, anunciou a porta-voz numa conferência de imprensa.

A chefe do executivo encontra-se em reuniões com os líderes dos partidos da oposição, à exceção do dirigente trabalhista, Jeremy Corbyn, que fez saber que não dialogaria com May enquanto esta mantivesse “a catastrófica hipótese” de um Brexit sem acordo.

Estas reuniões destinam-se a encontrar um “plano B”, um projeto de Brexit alternativo, para fazer o processo de divórcio do Reino Unido da União Europeia sair do impasse em que se encontra depois do chumbo, na terça-feira, pelo Parlamento britânico do acordo negociado entre Londres e Bruxelas, por uma esmagadora margem (230 votos).

Apesar da rejeição do texto acordado com a UE ao fim de 17 meses de negociações, o Governo conservador de May sobreviveu na quarta-feira à noite, por uma margem de 19 votos, a uma moção de censura apresentada pelos trabalhistas.

A líder dos conservadores na Câmara dos Comuns, Andrea Leadsom, anunciou esta quinta-feira que Theresa May fará na segunda-feira, dia 21, uma declaração na Câmara dos Comuns sobre os próximos passos do Brexit e apresentará uma moção, que será debatida e votada em 29 de janeiro.