Vários familiares de Julen, o rapaz de dois anos e meio que desapareceu em Málaga, e o construtor do poço onde o menino terá caído, prestaram declarações esta quinta-feira à Guardia Civil.

De acordo com o El Mundo, além de estar concentrada nas operações de resgate, a Guardia Civil está também empenhada em perceber quais foram as circunstâncias que levaram o rapaz a cair no poço.

https://observador.pt/videos/atualidade/camara-robotica-filmou-os-70-metros-do-poco-em-que-julen-caiu/

O poço, que foi construído por Antonio Sánchez sem licença em Totalán (Málaga), tem um orifício de 25 centímetros de diâmetro e 110 metros de profundidade. E encontra-se numa quinta que pertence aos pais de Julen.

Julen pode mesmo sobreviver tantos dias no poço? E o plano de resgate pode funcionar?

Segundo o El Mundo, nas declarações que prestou à Guardia Civil, Antonio Sánchez tornou a garantir que tinha tapado a entrada do poço com uma pedra e que, por isso, alguém que não ele a removeu antes de o rapaz lá ter caído.

O triciclo de Julen ainda está à porta de casa. Os vizinhos rezam para que o venha buscar