Conferências

Joana Marques Vidal vai ser uma das oradoras das Conferências do Estoril

196

Um prémio Nobel da Paz, um antigo presidente e uma antiga Procuradora-Geral da República entram numa sala. Não é piada. Foram divulgados mais nomes da edição de 2019 das Conferências do Estoril.

A antiga procuradora-geral da República é uma das novas confirmações das Conferências do Estoril, que se realizam de dois em dois anos

JOÃO PORFÍRIO/OBSERVADOR

Em 2015, Joana Marques Vidal, enquanto procuradora-geral da República, fez questão de se sentar na primeira fila quando, nas Conferências do Estoril, uma “reunião histórica” juntou quatro dos magistrados que mais têm marcado a luta contra a corrupção em Portugal, Espanha, Itália e Brasil. Agora, é um dos novos nomes confirmados para a edição de 10.º aniversário deste evento.

[O vídeo de apresentação da edição de 10º aniversário das Conferências do Estoril]

Na lista de novos nomes anunciados esta quinta-feira à imprensa por Miguel Pinto Luz, vice-presidente da Câmara de Cascais, estava também a de Carlos Mesa, antigo presidente da Bolíveia, Rigoberta Menchú, prémio Nobel da Paz em 1992, e Miguel Otero, jornalista venezuelano e diretor do jornal da ‘El Nacional’. Estes juntam-se aos primeiros convidados confirmados em novembro, como a prémio Nobel da Literatura Svetlana Alekseyevich, Anne Applebaum, que ganhou um Pulitzer, e ativistas pela Paz, como Fareeda Khalaf e Ahmad Nawaz. O evento decorre de 27 a 29 de maio, na Nova SBE, em Carcavelos. 

Este conjunto de conferências, que se tem realizado bianualmente, vai fazer 10 anos em 2019. A organização conta com 900 participantes e 920 jornalistas de 73 nacionalidades em mais de 158 horas de debate. O objetivo das Conferências do Estoril é “intervir” em temas da atualidade através dos vários convidados para ser parte da solução para problemas como a corrupção, as Fake News ou o aquecimento global.

Neste momento de apresentação a jornalistas, o vice-presidente da Câmara de Cascais falou ainda de outros momentos que, em 2019, vão marcar o concelho, como o encontro mundial da Harley Davidson, que se volta a realizar em Cascais, ou o festival EDP Cool Jazz, que vai ter nomes como os The Roots — a “banda do Jimmy Fallon”, como referiu Miguel Pinto Luz — e Diana Krall.  Foram ainda publicitadas outras iniciativas do município, como o torneio Gold Sixes e a filial da European Public Law Organization Portugal, que vai ser em Cascais.

Deixamos aqui a lista completa dos nomes anunciados para as Conferências: Ahmad Nawaz, ativista para a educação e a paz; Fareeda Khalaf, refugiada e ativista Yazidi; Edit Schlaffer, Fundadora e diretora da ONG Women Without Boders; Laya Vasudevan, Diretora do Center for Legal Aid and Rights; Edmund Phelps, Nobel da Economia (2006); Stetlana Alexievich, Nobel da Literatura (2015); Rigoberta Menché (Nobel da Paz, 1992); Anne Applebaum, jornalista do Washigton post, prémio Pulitzer (2004); Harald Jager, Militar, “o homem que derrubou o muro de Berlim”; Miguel Otero, Jornalista e diretor do Jornal “El Nacional”; Joana Marques Vidal, Antiga procurador-geral da Republica; Carlos Mesa, Presidente da Bolívia (2003-2005); Germán Garavano, Ministro da Justiça e dos Direito Humanos da Argentina.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: mmachado@observador.pt
Política

A protecção da família em Portugal

Luiz Cabral de Moncada

A família, enquanto célula principal da sociedade e berço da moral, como bem se sabe na Calábria, está mais garantida do que nunca. Nunca será esquecida pelos partidos quando no poder político.

Mar

Bruno Bobone: «do medo ao sucesso»

Gonçalo Magalhães Collaço

Não, Portugal não é uma «nação viciada no medo» - mas devia realmente ter «medo», muito «medo», do terrível condicionamento mental a que se encontra sujeito e que tudo vai devastadoramente degradando.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)