O Sporting foi a Santa Maria da Feira garantir a última vaga nas meias-finais da Taça de Portugal e fechar um quadro que já não acontecia há mais de dez anos: desde a temporada 2007/08 que FC Porto, Benfica e Sporting não chegavam os três à penúltima eliminatória da competição. Nesse ano, tal como acontecerá agora, os leões encontraram os encarnados nas meias-finais (e acabaram por bater o FC Porto na final do Jamor).

Esta temporada, além dos “três grandes”, também o Sp. Braga — tantas vezes considerado o “quarto grande”– está nas meias-finais da Taça. Cenário que se repete na final four da Taça da Liga, onde os quatro clubes apurados para as decisões da próxima semana são, precisamente, FC Porto, Benfica, Sporting e Sp. Braga. A presença dos quatro clubes em fases derradeiras e decisivas das duas Taças do futebol português, em detrimento das outras equipas do principal escalão e dos demais, tem motivado críticas à falta de competitividade das competições nacionais e augúrios de algo parecido com uma hegemonia que poderá esvaziar os emblemas mais pequenos.

Marcel Keizer, treinador que vem de outras paragens — paragens essas onde o Campeonato tem passado de mão em mão na última década, entre Ajax, PSV, Feyenoord e AZ –, garante que não é necessário sofrer por antecipação. “Se acontecesse todos os anos, não era bom. Mas não acontece. O Campeonato português é bom. Tem outras equipas muito fortes, como o Rio Ave e o Moreirense”, lembrou o técnico holandês na conferência de imprensa de rescaldo do jogo desta quarta-feira. Keizer, que comemorou esta semana 50 anos, confirmou que a contratação do costa-marfinense Idrissa Doumbia foi uma boa prenda de anos e adiantou que vai conhecer o jogador “a partir de amanhã”.

Sobre a vitória frente ao Feirense — apenas a segunda na era Keizer em que o Sporting ganhou sem sofrer golos –, o treinador defendeu que este foi “um dos melhores jogos” dos leões desde que chegou a Portugal. “Muitos jogos? É difícil. Especialmente para os jogadores. Tinha pensado em fazer alterações mais cedo porque queria estar a ganhar na primeira parte mas só consegui fazer depois porque só marcámos mais tarde”, acrescentou Marcel Keizer, para justificar o porquê de só ter tirado Bas Dost aos 71 minutos e Wendel já aos 80.

Os golos do Sporting foram apontados por Wendel, que marcou pela segunda vez ao serviço dos leões, e por Bruno Fernandes, que ao assinar o 15.º golo da temporada está já a um da marca da época passada e igualou Bas Dost no topo da lista dos melhores marcadores da equipa de Alvalade na Taça de Portugal (4 golos). O Sporting chegou pelo segundo ano consecutivo às meias-finais da competição — algo que não acontecia desde o intervalo 2006/08. A primeira mão da eliminatória joga-se na Luz, no início de fevereiro, e a segunda em Alvalade, no início de abril. Na outra meia-final, o primeiro jogo disputa-se no Dragão e o segundo em Braga.