A coordenadora do BE, Catarina Martins, elogiou hoje a medida orçamental negociada com o Governo para a descida do preço dos passes de transportes públicos, mas defendeu que deve ser acompanhada de mais investimento para haver mais meios disponíveis.

“Transportes públicos, coletivos, são essenciais à mobilidade e as deslocações são uma parte grande do salário das pessoas. A partir de abril, muda o tarifário. Na área metropolitana de Lisboa, não haverá passes acima de 40 euros. As famílias não gastarão mais de 80 euros, não precisam do equivalente a mais dois passes mesmo que tenham mais de dois elementos. As crianças até 12 anos deixam de pagar passe”, disse Catarina Martins.

No meio de uma vista à feira da Brandoa, Amadora, a líder bloquista referiu tratar-se de “uma poupança muito significativa para tantas famílias que gastam até centenas de euros com passes todos os meses”, enquanto distribuía panfletos e trocava saudações e cumprimentos com os populares.

“É uma medida muito importante, que faz apelo ao uso dos transportes coletivos e liberta salário, liberta pensão, melhora a vida das pessoas”, continuou.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Para Catarina Martins, “esta medida tem de ser acompanhada de um maior investimento em transportes”.

“Como vimos aqui hoje, há quem diga que não chegam os transportes que têm. É tão importante que em abril este desconto, este novo preço, ponha mais gente a utilizar os transportes, seja acompanhado de investimento para que haja o autocarro, o comboio, o metro, o barco de que as pessoas precisam”, concluiu.