Os militares portugueses na República Centro-Africana estiveram, entre quinta-feira e sábado, envolvidos em confrontos em Bambari, cidade a 400 quilómetros da capital, Bangui, anunciou este domingo o Estado-Maior-General das Forças Armadas (EMGFA).

De acordo com o EMGFA, os militares portugueses “viram-se novamente envolvidos em confrontos em Bambari por forma a repelir bolsas de resistência de combatentes que se reagruparam na cidade a fim de reconquistar as posições perdidas nas últimas semanas”.

“Estas ações ocorrem após os violentos combates que se iniciaram no passado dia 10 e depois se estenderam a Bokolobo, principal bastião e posto de comando do grupo rebelde ex-Seleka UPC (União para a paz na República Centro-Africana), 60 quilómetros a sudeste de Bambari”, lê-se na nota.

A 10 de janeiro, os paraquedistas em missão na República Centro Africana estiveram envolvidos, durante cinco horas, num intenso combate com elementos de um grupo armado, depois de serem alvo de um “ataque violento”. As imagens divulgadas pelo gabinete do Chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas (EMGFA) mostraram o uso de armamento pesado e o ataque que a força portuguesa enfrentou. Não há registo de feridos do lado da força portuguesa.