Ténis

Open da Austrália: Nadal e Sousa vitoriosos no adeus de Federer e da número dois mundial

O campeão em título Roger Federer foi eliminado da competição. Depois da derrota do dia anterior João Sousa segue em frente em pares, e Rafael Nadal também vence e acede aos quartos

LUKAS COCH/EPA

Autor
  • Agência Lusa
Mais sobre

O espanhol Rafael Nadal e o português João Sousa continuam a somar vitórias no Open da Austrália em ténis, que está a decorrer em Melbourne Park, no qual ‘caíram’ hoje o campeão em título Roger Federer e Angelique Kerber.

Depois de eliminado pelo japonês Kei Nishikori, na terceira ronda de singulares, João Sousa voltou a juntar-se ao argentino Leonardo Mayer para sentenciar o acesso aos quartos de final da competição de pares ante o chileno Nicolas Jarry e o argentino Maximo Gonzalez, pelos parciais de 6-3 e 6-4.

Consumado o triunfo em cerca de uma hora e 20 minutos, o número um português e 45.º colocado no ‘ranking’ ATP de pares igualou o melhor resultado alcançado em torneios do ‘Grand Slam’, depois dos quartos de final no US Open em 2015.

O próximo desafio da dupla luso-argentina, que lutará por uma presença inédita nas meias-finais de um torneio do ‘Grand Slam’, será diante os vencedores do encontro entre Frederik Nielsen/Marcelo Demoliner e Michael Venus/Raven Klaasen.

Ao contrário de Sousa, Roger Federer viveu um dia pouco assertivo na Rod Laver Arena. São 17 anos a separar o campeão em título e o grego Stefanos Tsitsipas, mas, no encontro de apuramento para os quartos de final, foi igualmente a falta de eficácia a sucumbir à determinação e ritmo intenso do jovem, de 20 anos, que venceu em quatro ‘sets’, por 6-7 (11-13), 7-6 (7-3), 7-5 e 7-6 (7-5).

O helvético, de 37 anos, chegou a dispor de quatro ‘set points’ na segunda partida, a 5-4 no serviço do adversário, e não converteu nenhum. Tal como não conseguiu concretizar nenhum dos 12 ‘break points’ a seu favor. Tsitsipas não perdoou e, graças aos 20 ‘ases’, 62 ‘winners’ e 36 erros não forçados, face aos 12 ‘ases’, 61 ‘winners’ e 55 erros não forçados do adversário, assegurou pela primeira vez na carreira a qualificação para os quartos de final de um torneio do ‘Grand Slam’.

“Não há palavras para descrever isto. Sou o homem mais feliz à face da terra neste momento”, disse ainda em ‘court’ o grego, que, graças ao triunfo, já subiu ao 13.º lugar do ‘ranking’ ATP, enquanto Roger Federer, detentor de 20 títulos do ‘Grand Slam’, saiu do top-5 mundial, figurando na sexta posição.

Ultrapassado o hexacampeão suíço, Stefanos Tsitsipas vai agora disputar com o espanhol Roberto Bautista-Agut, que eliminou o croata Marin Cilic (7.º ATP), por 6-7 (6-8), 6-3, 6-2, 4-6 e 6-4, uma vaga nas meias-finais do ‘major’ da Ásia-Pacífico.

Já Rafael Nadal somou mais um triunfo em três ‘sets’ na 107.ª edição do Open da Austrália frente ao checo Tomas Berdych, 57.º colocado da hierarquia mundial, que falhou os últimos seis meses da época transata com uma lesão nas costas.

Rafael Nadal, segundo do mundo, está a regressar oficialmente à competição, após uma cirurgia ao tornozelo direito no final de 2018, e, pela 11.ª vez, assegurou a qualificação para os quartos de final do Open da Austrália, Major que venceu em 2009.

O próximo adversário de Rafael Nadal é o norte-americano Frances Tiafoe, que celebrou o 21.º aniversário com uma vitória diante o búlgaro Grigor Dimitrov, por 7-5, 7-6 (8-6), 6-7 (1-7) e 7-5, e apurou-se de forma inédita para os oito finalistas de um torneio do ‘Grand Slam’. Será o primeiro confronto entre ambos.

Na competição feminina, a grande surpresa do dia foi protagonizada pela norte-americana Danielle Collins frente à alemã e número dois do ‘ranking’ WTA, Angelique Kerber, que não conseguiu evitar a derrota e cedeu a passagem aos quartos de final em apenas dois ‘sets’, por 6-0 e 6-2.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)