Max Parrot, snowboarder medalha de prata nos Jogos Olímpicos de inverno de 2018, foi diagnosticado com um Linfoma de Hodgkin. O canadiano de 24 anos deu a notícia na passada semana, durante uma conferência de imprensa, e anunciou que estará fora da competição até ao final do ano, já que tem “um novo tipo de desafio para agarrar”.

O atleta explicou que os primeiros sintomas surgiram ainda em setembro, quando começou a sentir uma comichão fora do normal na zona do pescoço. Em novembro, Parrot apercebeu-se de que tinha um alto no pescoço e consultou o médico de família, que lhe receitou de imediato uma biopsia. “Tinha uma glândula inflamada. Recebi o diagnóstico uns dias antes do Natal, a confirmar que tinha Linfoma de Hodgkin”, revelou o snowboarder canadiano, que já foi submetido a uma intervenção cirúrgica e realizou a primeira sessão de quimioterapia na passada terça-feira.

“Não tem sido uma notícia fácil de digerir, tanto para a minha família como para mim. Mas depois de umas semanas já me sinto confortável a falar sobre isto…vou permanecer o mais positivo possível nos próximos meses. Teoricamente, se tudo correr bem, devo acabar a quimioterapia em junho. Mas é assustador, não vou esconder. Mas o moral é bom e estou a levar um dia de cada vez. Passei um bom Natal rodeado de família. Era isso que queria”, acrescentou Max Parrot, que deu a conferência de imprensa em Montreal, no Canadá, ladeado pela namorada e pelo psicólogo desportivo que o está a acompanhar. O atleta explicou ainda que vai cumprir 12 sessões de quimioterapia nos próximos seis meses e que a doença foi diagnosticada numa fase inicial, o que aumenta a probabilidade de sobrevivência.

O Linfoma de Hodgkin é um cancro no sistema linfático que provoca o crescimento anormal das células e pode espalhar-se para outras zonas do organismo. A idade mais comum de diagnóstico anda entre os 20 e os 40 anos e a taxa de sobrevivência é superior a 90% quando o tumor é detetado numa fase embrionária. “É um novo tipo de desafio que tenho de agarrar. É uma nova forma de competição que tenho de enfrentar e vou fazer tudo o que posso para ganhar. Vai ser a minha competição este ano”, disse o canadiano.

Max Parrot, filho do antigo campeão canadiano de waterski Alan Parrot, venceu por cinco vezes os Winter X Games e foi nessa competição que entrou para a história do snowboard em quatro ocasiões: em 2013, alcançou o primeiro backside triple cork alguma vez visto nos X Games; em 2014, tornou-se o primeiro a conseguir saltos triplos consecutivos; em 2015, fez o primeiro cab quadruple underflip 1620; e em 2016 completou um inédito cab 1800 triple cork. O canadiano ganhou a medalha de prata na categoria slopestyle de snowboard nos Jogos Olímpicos de inverno de 2018, na Coreia do Sul, depois de já ter participado na edição de 2014, na cidade russa de Sochi. Depois de tornar público o diagnóstico, Max Parrot recorreu ao Instagram para agradecer todas as mensagens de apoio que recebeu e garantir que a solidariedade dos fãs e da família “significa muito”.