O Governo cabo-verdiano vai investir 700 milhões de escudos (cerca de 6,3 milhões de euros) num programa de formação profissional que contemplará 10 mil jovens, anunciou o ministro das Finanças, Olavo Correia. Com este investimento, serão contemplados 5.000 jovens com estágio profissional e mais 5.000 com formação profissional.

“Temos de poder aproveitar a energia e a mão de obra juvenil disponível no mercado de trabalho para alavancar a economia. Temos, pois, de poder transformar esta aparente preocupação — desemprego jovem — numa janela de oportunidade para o país e os jovens cabo-verdianos”, disse Olavo Correia, que acumula ainda as funções de vice-primeiro-ministro, durante a apresentação púbica das ofertas formativas e oportunidades de financiamento para 2019.

Além destes 700 milhões de escudos cabo-verdianos previstos para a formação profissional, o governante disse que o executivo tem previsto um conjunto de medidas e incentivos ao nível das empresas. O objetivo deste investimento e destas medidas é “colocar aqui um caudal de mudança em matéria de emprego e de empregabilidade”.

“Precisamos de ter quantidade. Isso não pode ser de pequenos avanços, temos de ter escala”, prosseguiu, acrescentando: “Estamos abertos para ir mais longe se tivermos sucesso no programa que estamos a implementar este ano”, garantiu.

Para Olavo Correia, a meta é “formar para o emprego, formar com qualidade, formar em todas as ilhas de Cabo Verde”. “O Estado vai ainda apoiar as empresas privadas que queiram atuar nesta área. Estamos abertos para negociar, porque o que nós queremos é fazer acontecer, criando as condições para que os jovens cabo-verdianos, em qualquer parte do país possam ter acesso ao estágio profissional e formação profissional com impacto no mercado de trabalho”, afirmou o governante.