Tribunal

Ator Alec Baldwin admite em tribunal ter esmurrado condutor. Pena? Aulas para controlar a ira

Alec Baldwin foi acusado de tentar agredir um condutor durante uma discussão no dia 2 de novembro, em Nova Iorque, num estacionamento em frente ao seu prédio.

Alec Baldwin admitiu em tribunal ter assediado um homem durante uma disputa por um lugar de estacionamento em Nova Iorque

JASON SZENES/EPA

O ator norte-americano Alec Baldwin declarou-se esta quarta-feira culpado de, em novembro passado, assediar um homem durante uma disputa por um lugar de estacionamento em Nova Iorque. O ator compareceu esta quarta-feira num tribunal de Nova Iorque e reconheceu a sua culpabilidade na disputa que manteve com o outro homem, pelo que ficou obrigado a frequentar aulas para controlar a sua ira.

De acordo com os media locais, declarou-se culpado de assédio em segundo grau, num tribunal de Manhattan, onde concordou participar num curso e pagar uma multa de 120 dólares (105 euros). Baldwin será citado novamente a 27 de março.

Baldwin foi acusado de tentar agredir outro condutor, Wojciech Cieszkowski, de 49 anos, durante uma discussão no dia 2 de novembro, no bairro de Greenwich Village, onde vive, num estacionamento em frente ao seu prédio, em Manhattan. O motorista, por sua vez, ocupava o estacionamento que estava a ser guardado por um parente. O ator acabou por ser preso.

A acusação é uma violação, o menor nível de ofensa, e se Baldwin completar o curso, o registo do caso será selado. O ex-advogado da estrela de “30 Rock” disse que Baldwin seria inocentado por imagens em vídeo. Baldwin só proferiu algumas palavras durante a audiência, principalmente respondendo a perguntas curtas do juiz e, à saída, não fez comentários.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)