Mazda

Gasolina e mais equipamento. Mazda actualiza gama

Já estão disponíveis as gerações 2019 dos CX-3, CX-5, 6 e MX-5, com equipamento reforçado. Mas não só: os motores a gasolina SkyActiv passam a estar disponíveis em toda a gama do construtor nipónico.

A rede de concessionários Mazda arranca o ano recheada de novidades, pois de uma assentada a marca nipónica lançou no mercado português a geração de 2019 de quatro dos modelos que compõem a sua gama, nomeadamente CX-3, CX-5, Mazda6 e MX-5 (soft-top e Retractable Fastback).

O mais pequeno dos SUV da Mazda – e o seu best-seller, desde que foi lançado em 2015 – recebe uma grelha dianteira actualizada, combinações LED nas ópticas traseiras, novas jantes de liga leve de alumínio, além de estrear a exclusiva cor Soul Red Crystal. No interior, o destaque vai para a consola central redesenhada, com travão de estacionamento electrónico e espaço de arrumação no apoio de braços central.

Contudo, é sob o capot que há maiores ganhos, pois o CX-3 passa a poder ser equipado com um novo motor diesel SkyActiv-D de 1.8 litros (115 cv), que anuncia um consumo combinado a partir de 5,2 l/100 km e baixos níveis de emissões (157 g/km), prescindindo de AdBlue. A gasolina, estreia do SkyActiv-G de 2.0 litros com  121 cv (consumo combinado a partir de 6,6 l/100 km; emissões de CO2 combinadas a partir de 160 g/km), a prometer elevado binário a qualquer regime, a par de consumos melhorados em condições reais de utilização. Os preços do diesel iniciam-se nos 27.032€, ao passo que o SkyActiv-G exige em troca 29.358€ – valores que não incluem a pintura metalizada.

No CX-5, o refresh concentra-se mais no interior, visando maiores níveis de conforto, segurança e funcionalidade, o que passa por novos bancos, mais espaços de arrumação, portas  USB e monitor com visão 360 graus. Ao serviço do SUV médio passam a estar quatro motorizações, duas a gasolina e outras tantas a gasóleo. Neste último caso, mantém-se o diesel de 2.2 litros e 150 cv (4×2), cujos preços se iniciam nos  36.338€, mas passa a existir uma versão mais potente deste bloco (184 cv), exclusivamente associada a tracção integral. A gasolina a representação está entregue ao 2.0 litros de 165 cv, com preços desde 32.383€, enquanto o 2.5 litros de 194 cv (exclusivamente 4×4) já atira o começo de conversa para os 55.224€.

Já a geração 2019 do Mazda6 beneficia, sobretudo, de um reforço do equipamento posto ao serviço da segurança, passando a oferecer uma gama ainda maior de sistemas de “ajuda ao condutor. O habitáculo foi igualmente revisto, como o confirmam  os novos bancos à frente e atrás, mas a principal nota vai para a mecânica. Segundo a Mazda, a dinâmica de condução foi incrementada graças ao “aumento da rigidez da carroçaria, alterações na direcção e na suspensão, maior eficiência aerodinâmica e redução dos níveis NVH (Ruídos, Vibrações e Aspereza)”. O topo de gama japonês passa a estar disponível com motores a gasolina 2.0 (145 cv) e 2.5 (194 cv), enquanto a oferta a gasóleo é reforçada com a introdução de uma versão de 184 cv  do 2.2 litros, que se vem somar ao 150 cv diesel. Mas, para já, a única motorização disponível é o SkyActiv-G de 145 cv (desde 41.591€), estando prevista a chegada do SkyActiv-D lá para o final de Junho.

Quanto ao roadster mais vendido do mundo, há razões para manter esse estatuto. Como já aqui antecipámos, as variantes soft-top e RF passam a usufruir de renovados argumentos em termos de performance e dinâmica, ao mesmo tempo que dão um salto qualitativo no domínio da segurança.

Sob o capot continuam a encontrar-se o 1.5 a gasolina de 132 cv ou o 2.0 de 184 cv, ambos contemplados com evoluções nos processos de combustão e ao nível do binário, para irem ao encontro da nova norma de testes WLTP/RDE e das emissões Euro 6d Temp. Os preços começam nos 25.302€.

Recomendador: descubra o seu carro ideal

Não percebe nada de carros, ou quer alargar os horizontes? Com uma mão-cheia de perguntas simples, ajudamo-lo a encontrar o seu carro novo ideal.

Recomendador: descubra o seu carro idealExperimentar agora

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: scarvalho@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)