Um carro da Polícia de Segurança Pública foi apedrejado e atingido por um “dispositivo incendiário” durante a madrugada desta quinta-feira em Loures, na sequência de um incêndio num caixote do lixo, mas não se registaram feridos, revelou a PSP.

Em comunicado, a PSP refere que deteve um menor (de 16 anos) em Setúbal e identificou dois outros (de 13 e 14 anos), “na sequência do registo de várias ocorrências de incêndio, presumivelmente de origem criminosa, em caixotes do lixo e ecopontos em vários concelhos do distrito de Lisboa e Setúbal”. Na cidade foi também incendiado um autocarro que estava estacionado na via pública.

Os incidentes foram registados entre as 23h30 de quarta-feira e as 7h desta quinta-feira, acrescenta a PSP.

Em Loures, explica a nota da polícia, na sequência de um incêndio de um caixote do lixo, “os meios policiais foram atingidos com pedras e um dispositivo incendiário, tendo resultado danos no ‘capot’ e a quebra do vidro para-brisas de uma viatura policial”, mas sem registo de ferimentos em qualquer agente.

A PSP diz que está a investigar as ocorrências de índole criminal e salienta que “as ações criminosas relatadas constituem crimes de resistência e coação à autoridade, dano qualificado e incêndio”, situações que “afetam diretamente o bem-estar e qualidade de vida das populações e passíveis de ser punidas com pena de prisão”.

No mesmo comunicado, a PSP apela a todos os órgãos de comunicação social e a todos os cidadãos “que denunciem imediatamente às autoridades todas as ações idênticas que presenciem ou de que tenham conhecimento, de forma a possibilitar a identificação e detenção dos suspeitos da prática dos crimes”.

Ao início da manhã desta quinta-feira, uma fonte da PSP já tinha dito à agência Lusa que 30 caixotes de lixo e ecopontos tinham sido incendiados durante a noite em toda a área do Comando Metropolitano de Lisboa (COMETLIS), com especial incidência no concelho de Sintra.

As últimas noites têm sido marcadas por diversos atos de vandalismo na Área Metropolitana de Lisboa e em Setúbal.

Estes atos começaram depois de uma manifestação, na segunda-feira, em Lisboa, contra a violência policial, após uma intervenção da PSP no bairro da Jamaica, no Seixal (Setúbal), no domingo, que resultou em incidentes entre os moradores e a polícia que provocaram cinco feridos civis e um agente.

O Ministério Público e a PSP abriram inquéritos aos incidentes no bairro da Jamaica.