Super Bock Super Rock

Cat Power vai atuar no festival Super Bock Super Rock

A guitarrista, pianista, cantora e compositora é a confirmação mais recente para a próxima edição do festival, que acontecerá no Meco. Vai atuar a 18 de julho, tal como Lana Del Rey.

Cat Power tem atualmente 47 anos, dez álbuns editados e uma carreira que se aproxima a passos rápidos das três décadas de longevidade

JULIEN BOURGEOIS

A guitarrista, pianista, cantora e compositora Chan Marshall, que se apresenta no meio musical com o nome Cat Power, vai atuar na próxima edição do festival Super Bock Super Rock, que se realiza entre 18 e 20 de julho na Herdade Do Cabeço Da Flauta, no Meco, em Sesimbra. A norte-americana nascida no estado da Geórgia vai atuar no primeiro dia, 18, para o qual a organização já tinha confirmado concertos das bandas The 1975 e Metronomy e da cantora e compositora Lana Del Rey.

Com um percurso musical iniciado nos anos 1990, Cat Power tem atualmente 47 anos e no último ano editou aquele que foi o seu décimo álbum de estúdio, Wanderer. O disco acabou por originar uma mudança de editora por parte da cantora e compositora de música folk e folk-rock, com queixas de que a sua casa anterior e de sempre, a prestigiada Matador (uma das maiores editoras discográficas independentes norte-americanas), queria que o álbum “soasse à Adele”.

Curiosamente, Wanderer inclui um tema gravado por Cat Power a meias com Lana Del Rey, que irá atuar no festival que este ano regressa ao Meco (local em que teve lugar entre 2010 e 2014, antes de uma mudança para o mais urbano Parque das Nações) precisamente no mesmo dia. A coincidência temporal dos dois concertos poderá até permitir que Cat Power e Lana Del Rey se juntem a palco para cantar “Woman”.

Filha de um pianista, autodidata na guitarra, Cat Power viveu no passado períodos de grande instabilidade emocional que, associados a comportamentos aditivos e a uma extrema insegurança em palco, fizeram com que cada concerto seu fosse uma espécie de lotaria: tanto podiam correr bem como terminar antes de tempo, ou ainda tornar-se um diálogo íntimo e vulnerável, mas não necessariamente musical, com o público.

Estando hoje, segundo garantiu à imprensa e segundo perceberam muitos fãs em concertos recentes, numa fase de maior estabilidade emocional, Cat Power regressa este ano ao festival em que já tinha atuado em 2014. Antes disso atuara, por exemplo, no Coliseu dos Recreios, em Lisboa, e no Coliseu do Porto, em 2018, num período de auge de popularidade face ao sucesso de discos como You Are Free (de 2003) e The Greatest (de 2006). As últimas atuações em Portugal aconteceram em 2015, no Hard Club (Porto) e Centro Cultural de Belém (Lisboa).

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: gcorreia@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)