Rádio Observador

Open da Austrália

João Sousa eliminado nas meias-finais do Open da Austrália em pares depois de um trajeto histórico

142

Foi um grande trajeto mas acabou: João Sousa, em dupla com Leonardo Mayer, perdeu com Henri Kontinen e John Peers por 6-1 e 7-6 nas meias de um Open da Austrália que fica na história para o português.

João Sousa e Leonardo Mayer salvaram um match point, levaram o segundo set para o tie break mas não evitaram a derrota

Getty Images

Foi um grande trajeto, que fica na história de João Sousa e do ténis nacional, mas que chegou ao fim já perto da meta: em dupla com o argentino Leonardo Mayer, o vimaranense perdeu nas meias-finais do Open da Austrália em pares frente ao finlandês Henri Kontinen e ao australiano John Peers por 6-1 e 7-6, falhando assim o apuramento para o jogo decisivo da prova.

Apesar de até terem começado o encontro com sinais positivos, conseguindo um break não concretizado no serviço de Kontinen, Sousa e Mayer foram somando vários erros diretos ao longo do primeiro set, que se começou a desequilibrar com o break que deu o 3-1 no serviço do argentino. No final, 6-1 em apenas 28 minutos. O segundo parcial foi mais equilibrado, o par luso-argentino conseguiu salvar um match point no nono jogo e levar as decisões para o tie break mas voltou nessa altura a lei do mais forte nos pontos decisivos e os 12.º cabeças de série, vencedores do Open da Austrália em 2017, conseguiram sair por cima com um triunfo por 8-6, fechando o segundo set quase uma hora depois (59 minutos, mais do dobro do primeiro).

Na outra meia-final, os franceses Pierre-Hugues Herbert e Nicolas Mahut – vencedores da última edição de Roland Garros, finalistas vencidos na Austrália em 2015 e que já ganharam também Wimbledon e US Open – irão defrontar os americanos Ryan Harrison e Sam Querrey, sendo que o primeiro já ganhou também o Grand Slam francês em 2017 mas com Michael Venus.

Apesar da derrota, João Sousa tornou-se nesta edição de 2019 o primeiro jogador português de sempre a conseguir alcançar as meias-finais do quadro de pares em Melbourne e num Grand Slam, superando os quartos do US Open no ano passado também com Leonardo Mayer. Em paralelo, o vimaranense, único representante masculino no torneio que se encontra no top 40 do ranking de singulares e pares, já igualara a sua melhor participação no quadro de singulares no Open da Austrália, chegando à terceira ronda onde perdeu com Kei Nishikori como em 2015 e 2016.

Nas rondas anteriores à meia-final com Kontinen e Peers, Sousa e Mayer tinham começado por eliminar os espanhóis Feliciano López e Marc López (6-4, 6-7 e 6-3), seguindo-se nova vitória contra o espanhol Roberto Carballes Baena e o russo Andrei Rublev (7-6 e 6-3). Na terceira ronda, a dupla luso-argentina bateu o argentino Máximo González e o chileno Nicolás Jarry (6-3 e 6-4), ao passo que nos quartos de final, realizados na passada terça-feira, tinham ganho aos sextos cabeças de série da prova, o sul-africano Raven Klaasen e o neozelandês Michael Venus, por 6-4 e 7-6.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: broseiro@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)