Papa Francisco

Papa denuncia no Panamá corrupção nos governos e pede “honestidade de justiça”

Cidadãos venezuelanos tinham pedido ao Papa que durante a sua visita ao Panamá apoiasse "a nova era" após a autoproclamação de Juan Guaidó, mas o Papa evitou referir-se à crise na Venezuela.

O Papa Francisco falou do Panamá onde participa no Dia Mundial da Juventude católica

BIENVENIDO VELASCO/EPA

O Papa Francisco insistiu esta quinta-feira numa cultura de transparência e luta contra a corrupção por parte de governos e setor privado, mas evitou referir-se à crise na Venezuela, falando do Panamá onde participa no Dia Mundial da Juventude católica.

Na quarta-feira, cidadãos venezuelanos tinham pedido ao Papa que durante a sua visita ao Panamá se referisse ao delicado momento que atravessa a Venezuela e que apoiasse “a nova era” após a autoproclamação de Juan Guaidó como Presidente interino.

Após ter escutado o discurso do Presidente do país, Juan Carlos Varela, no palácio de Bolívar, o papa Francisco dirigiu-se às autoridade panamianas, aos representantes do corpo diplomático e do mundo empresarial e da cultura. O sumo pontífice recordou que as novas gerações pedem aos que “têm uma função de liderança na vida pública que levem uma vida em conformidade com a dignidade e a autoridade que lhes foi confiada”.

É um convite a viver com austeridade e transparência, na responsabilidade concreta pelos demais e pelo mundo; levar uma vida que demonstre que o serviço público é sinónimo de honestidade e justiça, e antónimo de qualquer forma de corrupção”

No seu segundo discurso, dirigido aos bispos da Igreja de São Francisco de Assis no Panamá, o Papa considerou ainda que os feminicídios são “uma praga” na América Latina, ao referir-se aos problemas que enfrentam os jovens neste continente.

O pontífice argentino explicou que “são muitos os jovens que dolorosamente foram seduzidos com respostas imediatas que hipotecam a vida” e que implicaram situações conflituosas. Entre elas, citou “a violência doméstica, feminicídios — que praga vive o nosso continente neste aspeto –, bandos armados e criminosos, tráfico de droga, exploração sexual de menores e de não tão menores, etc.”.

O Papa Francisco também afirmou que a Igreja deve ajudar os fiéis “a ultrapassar os seus medos e desconfianças” face aos migrantes, no momento em que caravanas de milhares de pessoas partem com regularidade desta região da América central em direção ao México e Estados Unidos.

“A Igreja, devido à sua universalidade, pode oferecer esta hospitalidade fraternal e acolhedora, para que as comunidades de origem e as de acolhimento dialoguem e contribuam para ultrapassar os medos e as desconfianças e consolidem os laços que as migrações, no imaginário coletivo, ameaçam romper”, declarou.

Face ao atual cenário, “acolher, proteger, promover e integrar” podem ser os quatro verbos com os quais a Igreja, nesta situação migratória”, pode contribuir, acrescentou perante os bispos da América central.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Museus

Preservação do Património Cultural

Bernardo Cabral Meneses

As catástrofes ocorridas no Rio de Janeiro e em Paris deverão servir de exemplo para ser reforçada a segurança contra incêndios nos edifícios e em particular nos museus portugueses.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)