Fundação Calouste Gulbenkian

Projetos de inclusão social pelas artes em destaque na Gulbenkian

A Fundação Gulbenkian vai receber uma série de exposições, concertos e filmes para mostrar o "trabalho desenvolvido junto de pessoas vulneráveis e em situações de exclusão". A entrada é gratuita.

A mostra "Isto é PARTIS" inclui 16 projetos de intervenção social nas artes e vai estar exposta a partir desta sexta-feira até domingo

Manuel Almeida/LUSA

A Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa, acolhe a partir desta sexta-feira e até domingo a mostra “Isto é PARTIS”, que inclui exposições, concertos e a exibição de filmes, resultantes de projetos de intervenção social pelas artes.

Na mostra, com entrada gratuita, serão apresentados alguns dos 16 projetos de intervenção social pela arte apoiados pela fundação na segunda edição (2016-2018) da iniciativa Práticas para a Inclusão Social (PARTIS).

Entre esta sexta-feira e domingo será mostrado “o resultado do trabalho desenvolvido junto de pessoas vulneráveis e em situações de exclusão”.

Para esta sexta-feira está marcada a conferência “Arte e Comunidade — diálogos irrequietos”, “sobre o papel da arte na comunidade e a forma como uma e outra se relacionam e influenciam”, que “será também o momento de fazer o balanço da segunda edição PARTIS”, de acordo com informação disponibilizada no ‘site’ da fundação.

Também esta sexta-feira, é inaugurada a exposição “Refúgio e Arte: dormem mil cores em meus dedos” e é uma mostra do trabalho desenvolvido com jovens refugiados.

A manhã de sábado é dedicada às artes circenses, com uma deslocação ao Centro Educativo de Caxias, Oeiras, para o espetáculo “Perspetivas” e uma oficina, onde será possível experimentar várias modalidades de circo, do projeto Forças Combinadas, do Chapitô, com crianças e adolescentes que cumprem medidas tutelares educativas. Esta atividade exige inscrição prévia.

Para a tarde, na fundação, estão agendados o concerto “Renascer”, do projeto “de descentralização cultural que privilegia as crianças oriundas de meios rurais ou de famílias com baixos rendimentos” Zéthoven — Plante Um Músico, e o filme-concerto “Curtas Migratórias”, uma longa-metragem composta por seis curtas, que contam “histórias reais, e/ou baseadas em factos autênticos, realizadas por jovens que mergulharam no seu bairro, em si próprios e nas suas famílias”. O filme será exibido com música ao vivo, interpretada por alguns dos jovens que participaram no projeto.

No último dia, há o espetáculo “Xilobaldes”, “resultado de um processo de criação coletiva que pretende refletir sobre algumas experiências de vida dos jovens que frequentam as oficinas Tum Tum Tum, relacionadas com a temática do emprego e da formação profissional”, e a exibição do documentário de balanço do projeto Geração SOMA, que “dará a conhecer o trabalho desenvolvido com crianças entre os 5 e os 16 anos de escolas de Lisboa, integrando também crianças com necessidades educativas especiais e os respetivos educadores (professores e pais), através da dança, música e performance”.

Ainda no âmbito do “Isto é PARTIS”, está patente até 13 de fevereiro, na Ordem dos Arquitetos, também em Lisboa, a exposição “Retratos das Ilhas — Bonfim para além das fachadas”, que inclui fotografias do fotojornalista Paulo Pimenta e de participantes da Associação O Meu Lugar no Mundo e do Centro Social Senhor do Bonfim, no Porto.

A programação completa e os horários podem ser consultados no ‘site’ da Fundação Calouste Gulbenkian.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)