“Este é, em primeiro lugar, um evento de negócios”. O E-Commerce Connect, um evento dedicado ao comércio online que junta várias lojas online e soluções tecnológicas, está de volta para a segunda edição, que se realiza esta quarta e quinta-feira no Hotel Pestana Sintra Golf Resort & SPA.

O objetivo do evento, explica ao Observador Vasco Moreira, um dos organizadores, passa por dar a conhecer a área do e-commerce em Portugal, mas acima de tudo, por “promover a interação entre os diferentes atores do mercado, a troca de conhecimentos e a partilha de experiências”. Para isso, explica, estão marcadas palestras de vários profissionais da área, apresentações de casos de sucesso e as chamadas reuniões “one-to-one” entre decisores de lojas e representantes das soluções de comércio online, de forma a partilharem necessidades, ouvirem ideias e conhecerem possíveis soluções futuras para o negócio.

O objetivo é estarem presentes responsáveis e decisores de lojas online, de bancos online, de plataformas que tenham transações financeiras, porque na definição de e-commerce cabe qualquer plataforma onde ocorre uma transação financeira. Por outro lado, também vão estar presentes as soluções tecnológicas de e-commerce que, no fundo, são quem pretende apresentar os serviços que na ótica deles fazem com que estejam na vanguarda tecnológica e que possam melhorar os seus resultados. E essas soluções não são necessariamente portuguesas, são globais”, explicou ao Observador Vasco Moreira.

As palestras deste ano vão abordar temáticas como a proteção de dados, a melhoria da experiência do consumidor, os métodos de pagamento, a personalização no comércio online, a legislação e o futuro e desafios que se colocam no setor, contando com a presença de nomes pertencentes a empresas como a Google, Talkdesk, Iberia, Mastercard e SIBS.

A ideia de um evento como este partiu de uma necessidade que Vasco Moreira, João Leitão e Gonçalo Mendes sentiram quando trabalhavam numa startup. “Enquanto startup, procurávamos ir até às empresas e nem sempre era fácil. Depois, o desafio era conseguir chegar à pessoa certa e convencê-la de que a nossa solução era interessante”, explicou Vasco. Face a este problema, acrescentava-se o facto de não existir um evento como este na área do comércio online. Nasceu assim o E-Commerce Connect, que este ano conta com 250 a 300 participantes, a presença de 150 responsáveis pelas lojas online de quase 100 lojas nacionais, bem como 27 soluções tecnológicas.

Reuniões até 20 minutos para fazer nascer um negócio

A ideia inicial dos três organizadores passava apenas por uma edição do evento. No entanto, “face ao sucesso” da edição de estreia, os responsáveis decidiram dar uma segunda vida ao E-Commerce Connect. “Era para ser um evento de uma só vez, mas depois teve tanto impacto que durante o resto do ano pediram-nos para voltarmos a fazer uma segunda edição”, explicou Vasco Moreira.

O interesse em mais edições, acrescentou, veio de ambos os lados e cresceu sobretudo com o facto de se realizarem reuniões “one to one”: para os decisores é uma forma de dedicar dois dias “a aprender o que existe de novo no mercado, o que é que pode ser interessante para cada loja e também estudar o que aconteceu nas outras lojas”. Do lado das soluções tecnológicas, foi uma oportunidade de conseguirem falar com os decisores, apresentar e vender as suas ideias.

As reuniões “one to one” realizam-se entre as soluções tecnológicas e os decisores. Duram entre 15 a 20 minutos

Cada reunião dura entre 15 a 20 minutos, mas o processo começa bem antes. “As reuniões são preparadas previamente conforme os interesses dos decisores das lojas online e das soluções. Todos eles vão manifestar previamente o interesse à organização, depois fazemos um matching entre os interesses dos dois e criam-se aqui os momentos um para um. Há um algoritmo que vai recolher toda a informação e propõe as reuniões”, explica o organizador.

No fundo, nem chamaria a isto um evento, chamaria um marketplace. Temos uma Amazon que tem um marketplace em que existem os vendedores e os utilizadores/compradores da plataforma. Isto, no fundo, é um marketplace físico, em que existem as várias soluções e, por outro lado, há os utilizadores que vão lá, que podem escolher, ver o que pode otimizar resultados e podem até iniciar depois negociações para implementar essas tecnologias”, descreveu Vasco Moreira.

Depois da primeira edição, acrescenta o organizador, houve vários casos em que as soluções que estiveram presentes conseguiram fechar negócios com as empresas. E é essa a expectativa para esta edição: “Aquilo que nós gostávamos era que viessem dizer-nos que depois deste evento acabaram por iniciar colaborações ou então têm boas perspetivas de realizar negócio”.

E-commerce em Portugal: há crescimento, falta maturidade

Um evento como o E-Commerce Connect foi desenhado também para refletir sobre o futuro desta área e em que nível se encontra Portugal. E como está este setor? “A sensação que temos é que o estado do e-commerce em Portugal apresenta um forte potencial de crescimento, mas ainda não atingiu o nível de maturidade máximo“, referiu o responsável. E o facto de ainda não ter atingido esse nível, acrescenta, “é importante para se continuar a crescer, para as pessoas se conhecerem”.

O e-commerce constitui cada vez mais um grande volume de negócios importante nas empresas. Em marcas que têm muitas lojas físicas, a maior loja de todas já é o online e, portanto, há sempre que aprender como se pode tornar o negócio ainda melhor”, referiu Vasco Moreira ao Observador.

No entanto, há ainda três fatores que, segundo o organizador, precisam de ser melhorados nesta área: a comodidade, a segurança e a rapidez. “No e-commerce, se não for rápido, as pessoas também não o vão utilizar”, disse Vasco Moreira.

Para quem não poder ir à segunda edição, os organizadores avançam que já têm planeado uma terceira edição. E pode chegar ainda este ano. “No fundo, vamos respondendo às solicitações dos participantes”.

(Artigo editado por Tiago Pereira)