Combustível

Balanço de mortos em incêndio num oleoduto no México sobe para 117

Balanço anterior apontava para 107 mortos e 40 feridos. O incidente deu-se quando a 18 de janeiro residentes de Tlahuelilpan perfuraram um oleoduto, que acabou por explodir mais tarde.

Em 18 de janeiro, um grupo de residentes no município de Tlahuelilpan, perfurou um oleoduto e começou a roubar combustível de forma muito rudimentar

MLA/EPA

O número de mortos num incêndio que deflagrou após a explosão de um oleoduto em Tlahuelilpan, no estado mexicano de Hidalgo, subiu para 117, anunciou esta terça-feira o Governo do país. Em conferência de imprensa, Ruy Lopez Ridaura, um responsável do Ministério da Saúde, indicou que o incêndio de um oleoduto, em 18 de janeiro, provocou “117 mortos, 68 no local e 49 que morreram no hospital devido aos ferimentos”.

Cerca de 30 pessoas permanecem hospitalizadas, várias com queimaduras graves em mais de 80% do corpo, referiu a mesma fonte, acrescentando que receia um aumento do número de mortos. O balanço anterior apontava para 107 mortos e 40 feridos.

Em 18 de janeiro, um grupo de residentes no município de Tlahuelilpan, perfurou um oleoduto e começou a roubar combustível de forma muito rudimentar. Após cerca de duas horas e apesar da presença do exército, que pouco podia fazer para controlar as centenas de pessoas que vinham roubar o combustível, registou-se uma forte explosão que gerou um incêndio de grandes proporções.

Desde que chegou ao poder a 1 de dezembro, o Presidente mexicano, Andrés Manuel López Obrador, desencadeou um combate contra o roubo de combustível dos oleodutos da empresa estatal Pemex, que já provocou milhões de dólares em perdas.

Para este fim, reforçou com milhares de agentes a segurança dos oleodutos e aumentou o transporte da gasolina em camiões cisternas, o que tem causado uma crise de escassez em dez Estados, com estações de serviço fechadas e uma corrida aos combustíveis.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Eleições Europeias

Querida Europa...

Inês Pina

Sabemos que nos pedes para votarmos de cinco em cinco anos, nem é muito, mas olha é uma maçada! É sempre no dia em que o primo casa, a viagem está marcada, em que há almoço de família…

Educação

Aprendizagem combinada: o futuro do ensino

Patrick Götz

Só integrando a tecnologia na escola se pode dar resposta às necessidades do futuro, no qual os futuros trabalhadores, mesmo que não trabalhando na indústria tecnológica, terão de possuir conhecimento

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)