Lisboa

Cartão de transporte Lisboa VIVA já permite viajar em pós-pago

110

A nova modalidade de pagamento VIVA Go pode ser utilizada nos sete operadores de transportes, como a Carris, CP, Fertagus, Metropolitano de Lisboa, Metro Transportes do Sul, Transtejo e Softlusa.

O serviço VIVA Go no cartão Lisboa VIVA é "uma nova forma de pagamento da mobilidade segundo um modelo pós-pago, que debita diretamente na conta bancária do titular o valor de cada viagem, apenas e quando efetuada"

RODRIGO BAPTISTA/LUSA

Sete operadores de transportes da região de Lisboa, incluindo Carris e Metropolitano, lançaram esta terça-feira uma nova modalidade de pagamento do cartão Lisboa VIVA, que permite viajar em pós-pago, sem necessidade de efetuar carregamento prévio do título de transporte.

Desenvolvido pela OTLIS – Operadores de Transportes da Região de Lisboa e pela empresa SIBS, que gere os pagamentos multibanco em Portugal, o serviço VIVA Go no cartão Lisboa VIVA é “uma nova forma de pagamento da mobilidade segundo um modelo pós-pago, que debita diretamente na conta bancária do titular o valor de cada viagem, apenas e quando efetuada”.

“Basta ao titular de um cartão Lisboa VIVA dirigir-se a qualquer uma das cerca de 12 mil caixas multibanco e ATM Express e efetuar a adesão automática, associando o seu cartão bancário ao cartão de transporte Lisboa VIVA”, explicou a OTLIS, em comunicado, reforçando que a adesão ao serviço VIVA Go vai permitir viajar sem necessidade de um carregamento prévio do título de transporte, seja passe ou ‘zapping’.

A modalidade de pagamento VIVA Go pode ser utilizada nos sete operadores de transportes que integram a OTLIS, nomeadamente Carris, CP-Comboios de Portugal, Fertagus, Metropolitano de Lisboa, Metro Transportes do Sul, Transtejo e Softlusa.

“Atualmente existem dois milhões de cartões Lisboa VIVA em circulação, que podem ser utilizados em 24 operadores de transporte”, revelou a OTLIS, indicando que esta nova solução de pagamento pode, “a médio prazo, ser alargada aos restantes operadores de transporte”.

Direcionada a viagens ocasionais, a nova modalidade de pagamento pode coexistir num mesmo cartão Lisboa VIVA com os habituais passes ou ‘zapping’ carregados, “funcionando o VIVA Go como alternativa sempre que não existam outros contratos tarifários válidos no tempo e no espaço pretendido”.

“Os sistemas dos operadores darão prioridade aos títulos de transporte destinados a uma utilização frequente, como os passes carregados e não à modalidade VIVA Go”, informou a OTLIS.

Na perspetiva dos sete operadores de transporte da região de Lisboa, com a solução VIVA Go, “milhares de passageiros ocasionais vão poder aceder aos transportes públicos sem terem que se preocupar em adquirir previamente um título de transporte, poupando tempo e ganhando em comodidade, pagando à medida da utilização”.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Obituário

O meu amigo Augusto Cid

Alexandre Patrício Gouveia
140

Sem Augusto Cid Camarate teria, para sempre, sido descrito como mero acidente, e os portugueses teriam vivido com uma mentira relativamente à morte do seu primeiro-ministro e do seu ministro da Defesa

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)