Que Hazard quer o Real Madrid e que o Real Madrid quer Hazard, já se sabia. O jogador belga já admitiu várias vezes que jogar pelos merengues seria o realizar de um sonho e o interesse do clube espanhol no número dez do Chelsea é conhecido e quase público. Apesar de ser regularmente o nome mais repetido nos rumores de transferências e o principal protagonista das capas dos desportivos ingleses sempre que as janelas de mercado abrem, Eden Hazard continua em Stamford Bridge e continua a ser o jogador mais importante dos blues, mesmo com as trocas de treinadores a que os adeptos do Chelsea têm assistido.

O clube tem segurado o belga com punho de ferro e resistido às investidas alheias, sempre lideradas pelo Real Madrid. Hazard, porém, nunca escondeu o desejo de se mudar para Madrid e a imprensa inglesa até escreveu no início da temporada que o jogador de 28 anos pergunta regularmente a Mateo Kovačić, croata que está emprestado pelos merengues ao Chelsea, como é a vida no Santiago Bernabéu. A vontade de Hazard tem sido ano após ano contrariada pelo vínculo contratual que o liga ao clube inglês e que tem colocado a cláusula de rescisão em valores a que o Real Madrid ainda não quis chegar. O contrato, contudo, termina no final da próxima temporada e o Chelsea corre o risco de ter de deixar sair o belga a custo zero — isto se Hazard não o deixar até lá e não renovar entretanto.

O Chelsea tem tentado sentar-se com o médio com vista à renovação de contrato mas as conversações não têm sido fáceis: até porque Hazard já referiu que só vai “pensar no futuro” no final da presente temporada. Ainda assim, e caso queira mesmo forçar uma saída, tem a bênção do treinador. Na conferência de imprensa de antevisão da visita ao Bournemouth, em jogo desta quarta-feira a contar para a Premier League, o técnico italiano defendeu que “espera” que Hazard fique em Londres mas que este “deve ir” se quiser. O tópico foi levantado quando Sarri garantiu que não vai deixar sair o jovem Callum Hudson-Odoi, que tem sido alvo de interesse por parte do Bayern Munique, mas esclareceu que o caso de Odoi é completamente diferente do de Hazard.

Maurizio Sarri pode ter dado o empurrão final para a saída de Hazard do Chelsea

“A situação do Eden é diferente. O Eden tem 28 anos. Se ele quer ir, acho que tem de ir. Claro que espero o contrário, espero que queira ficar aqui. Tem o potencial para ser o melhor a jogar na Europa neste momento”, explicou o treinador ex-Nápoles. O médio belga, que chegou ao Chelsea em 2012 depois de cinco temporadas ao serviço dos franceses do Lille, foi uma peça fulcral para a conquista da Liga Europa em 2013/13 e da Premier League em 2014/15 e 2016/17 e ganhou um valor de mercado superior àquele que já tinha depois da positiva campanha no Mundial da Rússia com a seleção da Bélgica, onde conquistou o terceiro lugar.

No dia seguinte a Maurizio Sarri ter deixado a porta de saída praticamente escancarada a Hazard, o Manchester United está a negociar a saída de outro belga. De acordo com a BBC, os red devils estão a ultimar os detalhes da transferência de Marouane Fellaini, médio que tantas vezes foi o jóquer de José Mourinho, para os chineses do Shandong Luneng (onde joga o português Pedro Delgado, que passou pela formação do Sporting, do Portimonense e do Inter Milão e chegou a integrar a equipa B dos leões até 2018). O mercado chinês só fecha a 28 de fevereiro mas o clube já terá mesmo acertado todos os pormenores com Fellaini e resta apenas acordar o valor que o Manchester United quer receber pelo médio — que, recorde-se, chegou a Old Trafford em 2013 proveniente do Everton mas assinou um novo contrato em 2018, com término em 2020 e a opção de ser prolongado por mais um ano.

Fellaini era um dos jogadores mais utilizados do United de Mourinho

Fellaini, que era uma figura importante do Manchester United de Mourinho, perdeu espaço depois da saída do treinador português e ainda só jogou 31 minutos desde que Ole Gunnar Solskjaer chegou ao comando técnico do clube. Caso a ida para a China se confirme, este é já o segundo jogador high profile que um clube chinês rouba à Premier League durante o presente mercado de inverno — e curiosamente, o segundo belga. Mousa Dembélé, médio de 31 anos que chegou ao Tottenham em 2012 e também esteve no Mundial da Rússia em representação da Bélgica, deixou Londres pelos chineses do Guangzhou R&F a troco de cerca de 11 milhões de libras.

Em Portugal, a surpresa do dia surgiu com o empréstimo de Rúben Semedo ao Rio Ave por parte do Villarreal. Depois de um 2018 para esquecer — o jogador passou cinco meses em prisão preventiva e acabou por ser cedido ao Huesca, de onde foi dispensado por “não entender os valores do clube” –, o central regressa agora a Portugal, onde além do Sporting também representou o V. Setúbal. Nas primeiras palavras enquanto jogador do Rio Ave, Semedo revelou que quer ajudar o clube a chegar aos lugares que dão acesso à Europa e delineou aquele que considera ser “o ponto número um”: ser um bom colega. “Espero ser um bom companheiro, esse é o ponto número um. Quero ajudar em tudo o que estiver ao meu alcance e enquanto jogador acho que posso trazer mais robustez, rapidez e potência no jogo aéreo. Essas são as minhas principais qualidades. Acho que aqui vou ser feliz, vejo isto como oportunidade e não penso muito no tempo que falta”, afirmou o central de 24 anos, que ganha agora uma nova vida em Vila do Conde.

Rúben Semedo: ascensão e queda em quatro momentos-chave da vida do miúdo do Benfica que foi parar ao Sporting