O Banco Mundial anunciou que excluiu por três anos a construtora brasileira Odebrecht de participar em projetos financiados por esta multilateral financeira, no seguimento da descoberta de práticas fraudulentas pela construtora num projeto na Colômbia.

“O Banco Mundial anuncia que excluiu a brasileira Construtora Norberto Odebrecht S.A. durante três anos em consequência da prática de fraude e conluio durante a participação no projeto de Recuperação Ambiental e Controlo de Inundações do Rio Bogotá, um projeto financiado pelo Banco Mundial”, anunciou a entidade no seu site.

A exclusão, acrescenta-se, “torna a Construtora Norberto Odebrecht, que é a subsidiária da firma global Odebrecht SA e a maior do género na América Latina, inelegível para participar em projetos financiados pelo Banco”.

No comunicado, explica-se que esta decisão é parte de um acordo entre as partes, ao abrigo do qual a empresa “reconheceu a responsabilidade pelas práticas sancionáveis e concorda em cumprir várias condições específicas de compliance [cumprimento das regras] como condição para poder voltar a concorrer”.

A Odebrecht foi uma das principais empresas brasileiras envolvidas no escândalo de corrupção Lava-Jato.