Primeiro foi divulgado que o Facebook tinha uma app disponível para os sistemas operativos da Apple para obter dados pessoais de utilizadores em troca de uma recompensa (monetária, neste caso). A app ia contra as regras da empresa e, por isso, o Facebook foi banido do programa do iOS para empresas. Agora, é divulgado pelo TechCrunch, que também divulgou o primeiro caso, que a Google também tem uma aplicação que faz o mesmo. Google assumiu que “errou” e pediu desculpas.

O programa Enterprise da Apple permite que certas entidades tenham privilégios especiais para testar aplicações entre os funcionários das empresas. Uma das principais regras é essa mesmo: é apenas para uso interno. É assim que empresas como a Google ou o Facebook testam versões de teste em aplicações para iPhone e iPad sem se precisar de utilizar a loja de apps da Apple.

O problema? Estas duas empresas abusaram deste privilégios e permitiram que não funcionários instalassem aplicações especiais, a troco de dinheiro, para obter dados de como utilizam em dispositivos da Apple. No caso da Google, a app Screenwise Meter convida utilizadores de 18 anos e acima, ou com 13 anos se fizerem parte de uma conta familiar, em troca de cartões-presente para utilizarem em serviços da Google.

Segundo o mesmo meio, a aplicação da Google é mais transparente do que a do Facebook, ao assumir que está a recolher dados pessoais, mas utiliza a mesma técnica que o Facebook utilizou para poder ter acesso a estes: o programa Enterprise da Apple.

O sistema operativo da Apple, o iOS, é mais fechado do que o Android, da Google. Por pertencer à Apple, tem várias restrições, o que leva estas empresas a tentarem contornar as regras para conseguirem obter dados de utilização. Esta informação é valiosa para este tipo de empresa, pois demonstra padrões de compras e interesses que podem ser utilizados para condicionar o que o utilizador quer ver (ou, em casos mais extremos, como se aprendeu com a Cambridge Analytica, condicionar a forma como se vota).

Se a Apple punir a Google da mesma forma que fez com o Facebook, ao retirar a empresa do programa Enterprise, outras aplicações da Google no iOS podem ser afetadas, ao não permitir que os funcionários da empresa testem novas atualizações ou funcionalidades neste sistema.

Google: “Foi um erro e pedimos desculpa”

Em resposta ao TechCrunch (e, posteriormente, ao Observador), a empresa afirma que “não devia ter tido a Screenwise Meter iOS app a funcionar dentro do programa Enterprise”. “Foi um erro e pedimos desculpa”, disse a Google. A empresa afirmou que desabilitou a app.

Fomos diretos com os utilizadores e não temos acesso a nenhum dado encriptados das apps nem dos dispositivos”, defendeu-se a Google.

*Notícia atualizada às 00h38 com resposta da Google.