Um engenheiro chinês foi detido na semana passada, quando estava prestes a apanhar um voo para o seu país, e é acusado de tentar roubar segredos enquanto era funcionário da Apple. Em causa está informação cuja divulgação seria “altamente danosa” para a gigante tecnológica norte-americana — em concreto, informação sobre os planos que a Apple terá para construir um automóvel.

É a segunda vez em menos de seis meses que um chinês é detido por suspeitas de tentativa de roubo de segredos industriais. Segundo a queixa que deu entrada na semana passada num tribunal da Califórnia, neste caso, Jizhong Chen levantou algumas suspeitas quando foi visto por um colega a tirar fotos do projeto do “Apple Car” (nome possível para o carro) usando uma máquina fotográfica com uma lente grande-angular.

Foi lançada uma investigação e acabaram por ser descobertos, num computador pessoal do engenheiro, mais de 2.000 ficheiros que continham informação confidencial, desde imagens de circuitos de um carro autónomo até fotos dos sensores que a Apple estará a usar para criar esse carro que se conduz a si próprio. Havia, inclusivamente, fotos tiradas do ecrã do computador que Chen usava para trabalhar, o que é outra violação das regras da Apple. Havia, ainda, um disco rígido externo onde era colocada uma cópia de toda a informação.

À espera de Chen na China, após o voo que não chegou a fazer, estaria um emprego numa empresa chinesa ligada à pesquisa em carros autónomos — uma mudança de carreira sobre a qual a Apple garante não ter sido informada. O engenheiro tinha dito à Apple que tinha de viajar para a China porque queria visitar o pai, que estaria doente (uma justificação semelhante à que foi dada pelo outro engenheiro que foi acusado há alguns meses).

O caso, o segundo num curto espaço de tempo envolvendo a Apple, surge poucos dias depois de o Departamento de Justiça acusar a chinesa Huawei, entre outros crimes, de premiar funcionários quando estes conseguissem roubar informação secreta sobre os projetos inovadores de empresas norte-americanas. Uma acusação que é desmentida pela empresa chinesa.