O senador Cory Booker declarou esta sexta-feira que vai concorrer ao lugar de candidato democrata nas eleições presidenciais dos EUA de 2020, apelando à união dos norte-americanos à volta de um “propósito comum”.

O senador pelo Estado de Nova Jersey é o segundo político negro num leque de candidatos democratas muito diversificado, antecipando umas eleições primárias muito concorridas no partido que procura derrubar a liderança Republicana de Donald Trump.

“Acredito que podemos construir um país onde ninguém é esquecido, ninguém é deixado para trás, onde os pais podem colocar comida na mesa; onde há empregos bem remunerados com bons benefícios em todos os bairros; onde o nosso sistema de justiça criminal preserva a segurança, em vez de arrastar crianças para jaulas e caixões; onde vemos os rostos de nossos líderes na televisão e sentimos orgulho, não vergonha “, afirmou Cory Booker, no vídeo onde anunciou que vai concorrer ao lugar de candidato Democrata nas eleições de 2020.

Booker terá de disputar o lugar Democrata com três dos seus colegas senadores — Elizabeth Warren, do Massachussets, Kamala Harris, da Califórnia, e Kirsten Gillibrand, de Nova Iorque — mas também, eventualmente, com outros potenciais candidatos, incluindo o ex-vice-Presidente de Barack Obama, Joe Biden, o ‘mayor’ de Los Angeles, Eric Garcetti, o ex-candidato presidencial Bernie Sanders ou o bilionário Michael Bloomberg.

Nascido na capital, Washington DC, Booker foi presidente da Câmara de Newark, a maior cidade de Nova Jersey, com uma numerosa comunidade portuguesa, venceu uma eleição especial no Senado em 2013 para substituir o Democrata Frank Lautenberg e ganhou um mandato no Senado em 2014.

Cory Booker levou um estilo entusiasmado para as suas intervenções no Senado, onde tem apresentado várias propostas políticas para tentar aprofundar a justiça social, tendo-se destacado num projeto bipartidário para a reforma da justiça criminal, apoiada por Donald Trump.

No vídeo de anúncio da sua candidatura, Booker invocou a luta contra a escravidão e o papel da imigração na construção do caráter da nação, numa alusão às diferenças que o separam do atual Presidente.

“A história da nossa nação é definida pela ação coletiva; pelos destinos entrelaçados dos escravos e abolicionistas; dos nascidos aqui e daqueles que escolheram a América como lar; daqueles que pegaram em armas para defender o nosso país e daqueles que uniram forças para o desafiar e mudar “, disse Booker.

Booker já conseguiu reunir 4,1 milhões de dólares (quase quatro milhões de euros) para os cofres da sua campanha para as primárias Democratas.