Violência

The Guardian escreve reportagem sobre violência no Bairro do Jamaica e chama-lhe a “realidade urbana portuguesa”

551

Jornal britânico chama-lhe a "má semana lisboeta" e escreve que a brutalidade policial revela "a realidade urbana portuguesa". O ponto de partida é o bairro da Jamaica.

Os autores do vídeo que se tornou viral falavam em racismo e em violência policial contra uma família do bairro

JOÃO PORFÍRIO/OBSERVADOR

Quando os jornais britânicos dedicam páginas a Portugal, normalmente é para considerar que Lisboa é um sítio cool, um destino de sonho, a ser visitado o quanto antes, por que aqui tudo é bom: a comida, o clima, a hospitalidade. Esta sexta-feira, Portugal está nas páginas do The Guardian pelos piores motivos, a brutalidade policial e o racismo.

O ponto de partida é o Bairro do Jamaica, um lugar onde, escreve o jornal, os curiosos passam de carro para ver os estilhaços nas janelas, mas sem se arriscar a sair do veículo. O título diz tudo: “Um má semana em Lisboa: brutalidade policial revela a realidade urbana portuguesa”.

A partir daí, falam com alguns dos habitantes do bairro e lembram a história: um vídeo amador publicado nas redes sociais e que depois chegou aos jornais, mostra uma intervenção policial no bairro Vale dos Chícharos, mais conhecido por Jamaica, no concelho do Seixal.

Os autores do vídeo falavam em racismo e em violência policial contra uma família do bairro e todas as reações que se seguiram apontavam para uso excessivo da força. O debate instalou-se na sociedade portuguesa, as manifestações contra brutalidade policial e racismo sucederam-se e o jornal relembra ainda que durante várias noites seguidas houve desacatos em Lisboa e na Margem Sul.

No final do artigo, o The Guardian lembra um relatório das Nações Unidas, de 2016, onde o Comité para a Eliminação da Discriminação Racial se mostrava reocupado com o racismo em Portugal e recomendava a adoção de medidas específicas para a população de ascendência africana que “continuava invisível” na posições de relevo da sociedade portuguesa.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Jovens

Nos desculpem, queridos millennials /premium

Ruth Manus
147

Millennials, nos desculpem. Tem uma parcela de culpa de todo mundo nisso. Dos pais, da escola, do mercado de trabalho, da indústria, das redes sociais. E, sim, temos coisas a aprender com vocês.  

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)