O governador do estado norte-americano da Virgínia, Ralph Northam, está envolvido numa polémica racial depois de ter sido tornada pública a página do seu livro de curso da Universidade, de 1984. Em causa está uma fotografia de duas pessoas, de cerveja na mão. Uma delas tem o rosto pintado de negro, num estilo semelhante à da prática que os norte-americanos chamam blackface, quando atores brancos pintavam o rosto com graxa para parecerem negros e retratá-los de forma primitiva. A outra enverga vestes brancas e um capuz semelhante aos usados pelos membros do Ku Klux Klan (KKK), o grupo de supremacia branca norte-americano conhecido pelas suas ações racistas e crimes de ódio racial.

A página do curso de Medicina de 1984 da Eastern Virginia Medical School, divulgada inicialmente pelo site de notícias conservador Big League Politics, foi entretanto vista por várias pessoas e a sua veracidade confirmada por vários media norte-americanos.  A imagem surge na página de curso de Ralph Northam, ao lado de outros retratos do político enquanto jovem, bem como da citação “Neste mundo há mais bêbados velhos do que médicos velhos, por isso acho que vou beber outra cerveja”.

Horas depois da divulgação da fotografia, Northam, que tem estado debaixo de fogo político por causa de uma proposta de lei que facilitaria o aborto tardio, reagiu com um pedido de desculpas por ter utilizado uma máscara que “é claramente racista e ofensiva”, embora não tenha explicado qual delas envergava na fotografia. “Estou profundamente arrependido pela decisão que tomei ao aparecer como apareço nesta fotografia e pela dor que essa decisão provocou à altura e agora”, afirmou Northam em comunicado.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Reconheço que vão ser necessários tempo e esforços sérios para sarar os danos que esta conduta provocou. Estou pronto para fazer esse trabalho”, acrescentou o governador.

A reação de Northam surgiu depois de uma chuva de críticas dos seus adversários políticos. “O racismo não tem lugar na Virgínia”, afirmou o senador republicano daquele estado, Bryce Reeves, segundo a Associated Press. A mesma frase foi utilizada pelo presidente do Partido Republicano na Virgínia, Jack Wilson, que pediu a demissão de Northam: “Se o governador Northam apareceu de blackface ou vestido com um fato do KKK, tem de se demitir imediatamente”, disse, de acordo com o Washington Post.

Alguns democratas, contudo, saíram em defesa do seu colega de partido. “Toda a vida dele se centrou no oposto disto e é isso que têm de examinar, não uma coisa que aconteceu há 30 anos”, afirmou o senador Richard L. Saslaw.

Northam, médico de profissão que serviu no Exército durante oito anos, foi eleito para o Senado estadual em 2007. Desde então, as suas posições moderadas fizeram com que fosse elogiado por vários republicanos. Na corrida ao cargo de governador, em 2017, focou-se no eleitorado negro, como conta o Washington Post.

Após as manifestações com tons racistas em Charlottesville, no verão desse ano, Northam foi dos primeiros políticos da Virgínia a condenar aqueles atos e a pedir para que fossem retirados todos os monumentos da Confederação. Desde então, recuou nessa intenção, dizendo que tal deve ser decidido pelos municípios individualmente.