Hoje, dia de Super Bowl, os EUA param (literalmente) para assistir ao evento desportivo mais badalado e visto do mundo. A Audi, entre muitos outros anunciantes, aproveita a ocasião para pagar largos milhões para promover os seus veículos. E como seria de esperar, especialmente num país muito aberto à aquisição de modelos eléctricos, sobretudo devido ao efeito Tesla, a Audi decidiu promover isso mesmo: um dos seus produtos alimentados a bateria.

Curiosamente, não optou por mostrar o Audi e-tron, o novo SUV da marca, em vias de chegar aos mercados americano e europeu. Ao invés disso, no seu lugar surge o e-tron GT, um familiar desportivo extremamente elegante e atraente, cujo lançamento deverá ocorrer dentro de dois anos. Este desportivo, com espaço no habitáculo e mala, usa uma mecânica e um chassi idênticos ao Taycan da Porsche, outra marca do Grupo Volkswagen.

Para evitar ofuscar a sua ‘irmã’, a Audi anuncia apenas 590 cv, em vez dos 600 cv do Taycan, da mesma forma que reclama uma velocidade máxima de 240 km/h, mais uma vez ligeiramente inferior (em 10 km/h), para depois garantir 0-100 km/h em 3,5 segundos, de novo um valor da mesma ordem de grandeza do Taycan.