Paleontólogos descobriram na Patagónia argentina fósseis de uma espécie desconhecida de dinossauro pertencente ao grupo dos saurópodes que se caracteriza por grandes ossos em forma de espinhos a cobrirem o dorso e o pescoço, foi anunciado.

A nova espécie de dinossauro, apresentada hoje na capital argentina e descrita num artigo divulgado na publicação científica Scientific Reports, tem o nome de “Bajadasaurus pronuspinax”, numa referência à formação geológica de Bajada Colorada, na província de Neuqué, onde foram encontrados os fósseis, os primeiros em finais de 2013.

Segundo os peritos, este dinossauro terá vivido na Terra há 140 milhões de anos e pertencido ao género dos dicraeossauros, que fazem parte do grupo dos grandes dinossauros, os saurópodes, animais herbívoros que tinham cauda e pescoço muito compridos.

Ao contrário da generalidade dos saurópodes, que chegavam a ter 40 metros de comprimento, dinossauros como a nova espécie, cuja descoberta é agora reclamada, teriam aproximadamente nove ou dez metros.

Os ‘espinhos ósseos’ que a caracterizam, e estavam unidos à coluna vertebral, seriam usados para se proteger de potenciais ataques de outros animais, teorizam os paleontólogos.