O Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, afirmou esta segunda-feira, através de uma mensagem lida na sessão de abertura do ano legislativo no Congresso, que o seu Governo “declara guerra ao crime organizado”, garantindo que irá endurecer a legislação.

“O Governo brasileiro declara guerra ao crime organizado. Guerra moral, guerra jurídica, guerra de combate. Não temos pena e nem medo de criminosos. A eles sejam dadas as garantias da lei e que tais leis sejam mais duras. O nosso Governo já está a trabalhar nessa direção”, afirmou Bolsonaro, numa mensagem lida pela deputada do Partido da República (PR) Soraya Santos, em Brasília, capital do país.

O chefe de Estado não esteve presente na abertura dos trabalhos legislativos por ainda se encontrar a recuperar de uma cirurgia para retirada da bolsa de colostomia que usava desde que foi esfaqueado, em setembro do ano passado, durante um ato de campanha eleitoral.

Além de deputados e senadores, acompanharam a abertura da 56.ª legislatura do Congresso brasileiro os presidentes do Senado, Davi Alcolumbre, da Câmara dos deputados, Rodrigo Maia, do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli, o vice-Presidente da República, Hamilton Mourão, e a procuradora-geral da República, Raquel Dodge.