O programa de saídas voluntárias da Altice Portugal, que terminou na segunda-feira, registou “um número expressivo” de adesões, acima da “expetativa”, mas é “prematuro fazer um balanço”, disse esta terça-feira à Lusa fonte oficial da dona da Meo.

No dia 16 de janeiro, o presidente executivo da Altice Portugal anunciou o programa de saídas voluntárias ‘Pessoa’, dirigido aos trabalhadores com mais de 50 anos que pretendessem candidatar-se à pré-reforma ou suspensão do contrato de trabalho, com duração de três semanas.

A dona da Meo considera “ser prematuro fazer um balanço do Programa Pessoa”.

Isto porque “o prazo de adesão, que recordamos ser voluntária, encerrou ontem à noite, no dia 4 de fevereiro, e agora cabe à empresa avaliar as inscrições de acordo com critérios de indispensabilidade de cada colaborador de acordo com as funções que hoje executa”, explicou a mesma fonte.

“No entanto, podemos avançar que registámos um número expressivo e que superou a expetativa da Altice Portugal, o que apenas revela que as condições deste programa eram muito positivas para os colaboradores, confirmando a aposta da empresa nos trabalhadores e o compromisso com a gestão responsável de recursos humanos”, prosseguiu a mesma fonte.

Além disso, a administração da Altice Portugal “deferiu a admissibilidade às candidaturas ao programa Pessoa dos trabalhadores transmitidos”, acrescentou. Ou seja, aos trabalhadores que em 2017 foram transferidos para outras empresas (através da denominada transmissão de estabelecimento) foram dadas as “mesmas condições idênticas às dos colaboradores da Altice Portugal que adiram ao programa, postura que aliás a Altice Portugal já adotava em relação a outros benefícios, como é o caso da manutenção da PT ACS ou dos benefícios em comunicações”.

Fonte oficial da empresa considerou que esta “é uma atitude demonstrativa da postura da Altice Portugal de cordialidade e diálogo construtivo com os trabalhadores transmitidos e esta é mais uma prova do contexto sereno, de transparência e boa vontade que tem acompanhado as negociações e relação entre as partes e vincando de forma clara o princípio da igualdade de oportunidades que desde há muito defende”.