O Bloco de Esquerda está ao lado de Marcelo Rebelo de Sousa. Numa reação à polémica em torno da ida do chefe de Estado ao bairro da Jamaica, Pedro Filipe Soares mostrou-se solidário com a visita. “Não há nenhum espaço dentro do território nacional que esteja vedado ao Presidente da República ou que seja excluído da república”, começou por dizer o líder parlamentar do BE. “Por isso achamos muito bem que o senhor Presidente da República tenha ido ao bairro da Jamaica”, acrescentou. As declarações foram prestadas aos jornalistas esta terça-feira em Aveiro, durante a conferência de imprensa de encerramento das jornadas parlamentares do partido.

Ao final da manhã de segunda-feira, Marcelo Rebelo de Sousa apareceu no bairro Jamaica, de surpresa, sem avisos e “sem qualquer comitiva ou televisões”. O anúncio foi feito pelo site oficial da Presidência da República, já depois de a visita de cerca de 45 minutos ter terminado.

Esta atitude não caiu bem em todos os setores. O presidente da Associação Sindical dos Profissionais da Polícia acusou Marcelo de “desprezo completo” para com a polícia numa publicação no seu facebook pessoal. “Nada contra ele ir à Jamaica ou onde ele quiser, mas menosprezar quem produz segurança no País e nunca ouvir uma só palavra em favor destes profissionais é sinónimo do desprezo completo que a SEXA PR tem pelos polícias e pela segurança do País”, escreveu Paulo Rodrigues.

Depois da visita marcada pelas já habituais selfies, o Presidente da República prometeu ainda vir a participar na próxima festa da Associação de Moradores do bairro da Jamaica. Já entre os moradores, a visita de Marcelo Rebelo de Sousa foi bem acolhida, mesmo que tenha acontecido sem preparação ou aviso prévio.

As selfies de Marcelo na “visita-relâmpago” ao bairro da Jamaica