O treinador português José Mourinho foi condenado a um ano de prisão com pena suspensa e a pagar 2,2 milhões de euros por fraude fiscal, avança a imprensa espanhola esta terça-feira.

Segundo a agência noticiosa EFE, Mourinho esteve esta terça-feira num tribunal de Madrid para formalizar o acordo com as autoridades fiscais e judiciais espanholas, que o acusaram de ocultar receitas de 3,3 milhões de euros em 2011 e 2012, relativas a direitos de imagem, quando era treinador do Real Madrid.

Além da multa de mais de dois milhões de euros e dos 182.500 euros, nos quais foi convertido o ano de prisão com pena suspensa, Mourinho, atualmente sem clube, vai pagar a verba que terá ocultado.

Segundo o acordo, que tem ainda de ser ratificado por um juiz, José Mourinho já pagou em julho 462.000 euros, pelo que a verba em dívida é de 2,84 milhões.

Em causa está um contrato celebrado por Mourinho entre a Koper Services e a Multisports & Image Management, sediadas nas Ilhas Virgens Britânicas e na Irlanda, respetivamente, para a cedência de direitos de imagens. Cerca de quatro anos mais tarde, em 2008, Mourinho terá assinado outro contrato com a Polaris Sports Limited, que tinha a mesma sede. O fisco espanhol defendeu que essas empresas foram usadas pelo português para ocultar rendimentos provenientes de acordos comerciais.

“Todas estas estruturas corporativas foram utilizadas pelo réu com o objetivo de omitir os benefícios inerentes dos seus direitos de imagem”, lê-se na acusação do Ministério Público espanhol, citada pelo El  Mundo.

José Mourinho é uma das várias figuras do futebol mundo a enfrentar problemas com as autoridades fiscais espanholas, que recentemente chegaram a acordo com o futebolista Cristiano Ronaldo para o pagamento de uma multa de 18,8 milhões de euros.