O arquiteto português Álvaro Siza Vieira profere na segunda-feira, na cidade da Praia, uma palestra sobre o betão branco, material usado na construção da nova sede do Banco de Cabo Verde, cujo projeto elaborou, anunciou a organização nesta terça-feira.

Segundo o Banco de Cabo Verde (BCV), o renomado arquiteto português, Prémio Pritzker em 1992, vai proferir a palestra no âmbito de uma visita que uma delegação, que chefia, efetua às obras da nova sede do banco central cabo-verdiano.

Orçamentada em 16,3 milhões de euros, a construção da nova sede do BCV foi projetada por Siza Vieira, conhecido pelas suas obras em betão branco, material que é introduzido agora em Cabo Verde.

O BCV considera que o sistema de construção em betão branco é “algo inédito em Cabo Verde” e que, além de ser o principal material na construção da nova sede, este tipo de construção vem despertando “muito interesse” junto dos agentes e técnicos de construção civil e não só.

O supervisor bancário cabo-verdiano sublinhou, em comunicado, que convidou o arquiteto português para “partilhar um pouco da sua vasta e riquíssima experiência na matéria com arquitetos, engenheiros e demais interessados, em Cabo Verde”.

Intitulada “Sistema de Construção em Betão Branco”, a palestra vai contar com a presença de arquitetos, engenheiros, ordens profissionais do ramo da arquitetura e engenharia, professores universitários, o Laboratório de Engenheira Civil, o Programa de Reabilitação, Requalificação e Acessibilidades (PRRA) do Ministério das Infraestruturas, o Pelouro de Urbanismo da Câmara Municipal da Praia, entre outros interessados, enumerou o BCV.

As obras da sede do BCV, em Achada de Santo António, ao lado da Assembleia Nacional iniciaram em agosto de 2017 e encontram-se em fase avançada de construção.

O edifício, cuja primeira pedra foi simbolicamente lançada em 2000 pelo entretanto falecido Presidente da República António Mascarenhas Monteiro, ficará localizado no bairro mais populoso da cidade da Praia e onde se encontram também edifícios como a sede das Nações Unidas em Cabo Verde, o Ministério dos Negócios Estrangeiros e a Embaixada de Portugal.

A obra foi financiada através do fundo de pensões dos colaboradores do banco central que iniciaram funções até 1993 e a nova sede será cedida ao BCV em regime de ‘leasing’ financeiro.

Como contrapartida pela utilização do edifício, o BCV assumirá as prestações mensais dos beneficiários para o fundo de pensões, passando o edifício a “custo zero” para o BCV com a extinção das responsabilidades do fundo.

A visita da delegação liderada por Siza Vieira a Cabo Verde inicia-se no dia 11 e termina na quarta-feira, dia 13 de fevereiro.