Transportes

Chauffeur Privé larga a gravata, muda de nome para Kapten e vai chegar ao Porto

As mudanças estão inseridas na estratégia de expansão nacional e europeia da plataforma. Até 2020, a empresa quer ser "campeã europeia" entre as plataformas eletrónicas de transporte de passageiros.

A mudança pretende tornar a marca "mais competitiva", com uma redução de preço ao cliente e permitindo mais receitas aos motoristas

AFP/Getty Images

A plataforma eletrónica de transporte privado de passageiros Chauffeur Privé, actualmente com três mil motoristas a operar na Área Metropolitana de Lisboa, vai chamar-se Kapten, numa estratégia de expansão nacional e europeia, chegando ao Porto ainda no primeiro trimestre.

Em declarações à agência Lusa, o director-geral da marca em Portugal, Sérgio Pereira, considerou que a empresa — uma das plataformas de TVDE (transporte individual e remunerado de passageiros em veículos descaracterizados a partir de plataforma electrónica) — deve o sucesso “ao seu modelo único de relação com os motoristas parceiros e ao foco na satisfação do cliente”.

A Chauffeur Privé vai largar a gravata e tornar-se em Kapten, numa mudança que acompanha a sua expansão nacional com a entrada na cidade do Porto. Chegámos ao ponto de mudar o nome para nos posicionar melhor no mercado global, mais especificamente no europeu, já que temos o projecto de expansão de nos lançarmos numa capital europeia a cada três meses”, adiantou Sérgio Pereira, referindo que o objetivo é conquistar mais de 10 milhões de utilizadores dentro de dois anos e alargar a rede de parceiros motoristas.

De acordo com o representante, o novo nome da empresa será “mais fácil de dizer” nas várias línguas. A mudança pretende tornar a marca “mais competitiva”, com uma redução de preço ao cliente e permitindo mais receitas aos motoristas.

Sérgio Pereira reconhece que a plataforma aprendeu “muito com a entrada no mercado português”. O diretor-geral em Portugal adiantou que os tarifários das viagens ficam “agora com um valor até 30% abaixo das alternativas de mercado”, caindo dos 95 para os 80 cêntimos o preço base, enquanto a tarifa ao minuto será de oito cêntimos e o preço por quilómetro 52 cêntimos.

Até 2020, a Krapten quer ser “campeã europeia” entre as plataformas eletrónicas de transporte de passageiros, ou mesmo “número um ou um número dois muito perto do líder” em todos os mercados europeus, um plano que tem como objetivo alcançar um valor de faturação de 600 milhões de euros.

A Chauffeur Privé foi a primeira plataforma digital de transporte individual de passageiros a obter o licenciamento de TVDE em Portugal, atribuída pelo Instituto da Mobilidade e dos Transportes, tendo registados 80 mil utilizadores. No mercado português, a Kapten opera em Lisboa, Vila Franca de Xira, Mafra, Ericeira, Alcochete, Montijo, Sesimbra e Setúbal.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Demografia

Envelhecimento e crescimento económico /premium

Manuel Villaverde Cabral

Nada é mais importante para países como Portugal do que o imparável envelhecimento da população e as suas consequências a todos os níveis da sociedade, da saúde ao potencial de crescimento económico.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)