NATO

Donald Trump vai a Londres em dezembro para cimeira da NATO

O Presidente norte-americano tem dirigido duras críticas aos membros da Organização do Tratado do Atlântico Norte por não atingirem as metas de investimento em defesa.

A próxima reunião dos chefes de Estado da NATO, que contará com a presença de Donald Trump, vai ter lugar em Londres

CHRISTIAN BRUNA/EPA

A próxima reunião dos chefes de Estado da Organização do Tratado do Atlântico Norte (NATO) vai realizar-se em Londres, em dezembro deste ano, anunciou esta quarta-feira o secretário-geral da organização, Jens Stoltenberg. A reunião deverá contar com a presença do Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que tem dirigido múltiplas críticas à aliança transatlântica, tendo mesmo já aludido a uma eventual saída da aliança.

“Estamos gratos ao Reino Unido por aceitar receber esta reunião no ano do 70.º aniversário da NATO. Londres foi a casa do primeiro quartel-general da NATO. O Reino Unido foi um dos 12 membros fundadores da aliança e continua a ter um papel fundamental na aliança, dando contributos essenciais para a nossa segurança partilhada”, escreveu Jens Stoltenberg no comunicado em que anunciou a localização da nova reunião.

“O encontro em Londres vai ser uma oportunidade para os chefes de Estado e de governo dos aliados se debruçarem sobre os desafios de segurança que enfrentamos hoje e no futuro, e para assegurar que a NATO continua a adaptar-se de modo a manter a sua população de quase mil milhões de pessoas em segurança”, disse ainda Stoltenberg.

Num comunicado de imprensa citado pelo jornal britânico The Guardian, a primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, também sublinhou que o Reino Unido é um dos membros fundadores da NATO e mostrou-se “muito satisfeita” pelo facto de a próxima cimeira decorrer em Londres. “A reunião de dezembro é uma oportunidade importante para determinar os passos que temos de dar agora, para modernizar a aliança e assegurar o seu sucesso contínuo”, disse May.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, tem deixado duras críticas aos países membros da NATO por não pagarem o suficiente para as despesas comuns da aliança em defesa. Na cimeira de julho do ano passado, em Bruxelas, Trump mostrou-se desagradado por os EUA estarem “a pagar pela proteção da Europa” e exigiu aos aliados que consagrassem 4% do Produto Interno Bruto para gastar em defesa até 2024.

Antes da cimeira, Trump escreveu uma carta aos líderes dos países que não atingem a meta dos 2% do PIB exigida pela aliança — entre eles Portugal. “Há uma frustração crescente nos Estados Unidos com o facto de alguns aliados não terem assumido as responsabilidades como prometeram”, escreveu Trump.

Esta será a segunda visita de Donald Trump ao Reino Unido após a eleição como presidente dos EUA. De acordo com a Sky News, da última vez, o país gastou cerca de 8 milhões de libras (cerca de 9,1 milhões de euros) em recursos policiais para garantir a segurança do Presidente norte-americano.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: jfgomes@observador.pt
NATO

Os 70 anos da NATO, vistos da Europa


João Diogo Barbosa

Não só o “exército europeu” se tornou um dos temas essenciais para o futuro, como foi possível, pela primeira vez, a aprovação de um Programa Europeu de Desenvolvimento Industrial no domínio da Defesa

NATO

A velhinha NATO /premium

Diana Soller

Mas não faz sentido ignorar que, aos 70 anos, a NATO, que nos garante silenciosamente a segurança e que sobreviveu ao seu próprio sucesso na Guerra Fria, nunca passou um período tão difícil. 

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)