Nenhum dos hospitais de Lisboa tem certificação para receber os helicópteros do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) durante a noite. Segundo o Público, desde o dia 14 de janeiro que os helicópteros só podem aterrar no Aeroporto Militar de Figo Maduro.

A falta de certificação da Autoridade Nacional de Aviação Civil (ANAC) é o que tem impossibilitado as aterragens dos meios aéreos. Durante o dia, a Babock, empresa que gere os helicópteros do INEM, apenas tem o Hospital de Santa Maria disponível para aterragem. Todos os restantes locais disponíveis estão fora de Lisboa: Carnaxide, Loures, Cascais, Vila Franca de Xira.

Em resposta ao Público, o INEM alerta para o facto de ter um acordo com a Academia Militar para usar o campo de futebol como local de aterragem, mas não o pode fazer por falta de certificação da ANAC . “No passado dia 14 de janeiro de 2019, a empresa operadora dos meios aéreos do INEM, a Babcock, no âmbito da revisão de processos que fez a propósito do novo contrato, informou o INEM que a Academia Militar não podia ser utilizada para aterragem do Serviço de Helicópteros de Emergência Médica (SHEM)”, pode ler-se na notícia do jornal.